O que um urologista quer que saiba sobre a infertilidade masculina

CNN , Jamin Brahmbhatt*
4 mai, 17:00
A consulta com um especialista é fundamental para os homens que procuram uma compreensão abrangente da sua saúde reprodutiva. ljubaphoto/E+/Getty Images

NOTA DO EDITOR | Jamin Brahmbhatt é urologista e cirurgião robótico na Orlando Health e professor assistente na Faculdade de Medicina da Universidade da Florida Central, nos Estados Unidos

Quando casais de sexo oposto estão a tentar engravidar e não conseguem, a atenção centra-se frequentemente na mulher. Nem sempre é esse o caso.

Várias vezes por mês, os homens vêm ao meu consultório para perguntar: "Será que o problema é mesmo meu?"

Porque é que alguns homens estão em negação? Penso que a possibilidade de o homem poder ter problemas de fertilidade pode ser mais do que uma mera preocupação clínica. Para os homens que associam a sua virilidade à sua identidade e autoestima, isso pode levar a uma profunda crise pessoal.

Embora seja fácil para mim oferecer testes e tratamentos para a infertilidade, é difícil lidar com os desafios emocionais e físicos que podem surgir para o meu paciente ou para o casal na sua jornada para a paternidade. Já vi casais separarem-se por causa da luta para engravidar.

A recente decisão do tribunal do Estado do Alabama, nos Estados Unidos, sobre o que define um embrião e o acesso aos cuidados de reprodução assistida colocou as questões da fertilidade no centro das atenções, sendo muitas vezes apontadas como preocupações das mulheres. Não é esse o caso, e é por isso que é crucial alargar o nosso foco e abordar a infertilidade masculina. Esta contribui também para os desafios que os casais enfrentam e afeta as pessoas envolvidas.

Quando procurar tratamento para a infertilidade masculina

Nos Estados Unidos, cerca de 1 em cada 8 casais tem dificuldade em engravidar ou em manter uma gravidez. Neste contexto, a infertilidade masculina desempenha um papel significativo, contribuindo para cerca de 40% dos casos de infertilidade.

Os casais são geralmente aconselhados a realizar testes de fertilidade após um ano de tentativas de engravidar sem sucesso, com base no tempo que pode demorar para casais saudáveis quando a mulher tem menos de 35 anos. Quando a mulher tem mais de 35 anos, os casais devem procurar ajuda após seis meses de tentativas. Este último facto deve-se à diminuição da fertilidade que pode ocorrer com a idade, tornando importante uma intervenção precoce. Embora as idades indicadas dependam da mulher, é essencial que ambos os parceiros façam o teste durante a avaliação da fertilidade.

Além disso, se existirem problemas de saúde específicos que possam afetar a fertilidade, tais como condições genéticas conhecidas, cirurgias anteriores que afetem os órgãos reprodutores, cancros anteriores que tenham exigido quimioterapia ou doenças crónicas como a diabetes, os homens devem consultar um profissional de saúde antes de começarem a tentar engravidar. Esta abordagem proativa ajuda a resolver quaisquer potenciais complicações numa fase inicial do processo e prepara o terreno para uma tentativa de conceção mais informada e orientada.

Desanuviar o ar com factos

Os primeiros minutos da minha consulta com os meus pacientes masculinos consistem em esclarecer os factos e os mitos sobre a fertilidade. Trata-se de compreender o que é 'conhecimento' online e o que é medicina real. Aqui estão os principais pontos que esclareço com o meu paciente.

A fertilidade dos homens diminui naturalmente com a idade, afetando a qualidade do esperma e a integridade genética. Este processo é influenciado por escolhas de estilo de vida como fumar, consumo excessivo de álcool e obesidade, que reduzem significativamente a qualidade e a produção de esperma. Problemas de saúde como a varicocele, infeções e desequilíbrios hormonais também prejudicam a fertilidade, tal como fatores ambientais como os metais pesados e o calor excessivo podem prejudicar a função dos espermatozoides. O stress também perturba as hormonas necessárias à produção de esperma.

É importante desfazer os mitos: a roupa interior apertada e o ciclismo recreativo têm um impacto mínimo na fertilidade, contrariamente à crença popular. Os suplementos, embora benéficos para deficiências específicas, não aumentam universalmente a fertilidade e devem ser utilizados com precaução. Por último, as ejaculações frequentes não prejudicam a fertilidade geral. Podem diminuir temporariamente a contagem de espermatozoides, mas podem ajudar a melhorar as hipóteses de uma fertilização bem sucedida, eliminando os espermatozoides mais velhos.

Como diagnosticar a infertilidade masculina

Os homens de qualquer idade podem começar a avaliar a sua fertilidade em qualquer altura, e a tecnologia moderna torna-o mais fácil do que nunca. Várias aplicações de "fertilidade" e kits de análise de sémen disponíveis para uso doméstico permitem que os homens avaliem a qualidade do seu esperma sem receita médica. Essas ferramentas fornecem um ponto de partida importante, mas para aqueles que buscam uma compreensão abrangente de sua saúde reprodutiva, consultar um especialista é fundamental.

Os urologistas com experiência em saúde reprodutiva masculina estão preparados para realizar avaliações completas que vão muito além do que os testes caseiros podem oferecer, abordando as questões complexas da infertilidade masculina que podem ser influenciadas por condições genéticas, desequilíbrios hormonais, fatores de estilo de vida e exposições ambientais.

A análise do sémen é uma ferramenta de diagnóstico fundamental neste processo. Avalia a contagem de espermatozoides, a motilidade e a morfologia - indicadores-chave da saúde dos espermatozoides. Uma contagem de espermatozoides inferior a 15 milhões por mililitro, conhecida como oligospermia, pode reduzir a probabilidade de uma fertilização bem sucedida. Problemas de motilidade, em que menos de 40% dos espermatozoides se movem eficazmente, podem dificultar a sua viagem até ao óvulo. A morfologia anormal, em que menos de 4% dos espermatozoides têm uma forma normal, pode impedir a capacidade do espermatozoide de fertilizar um óvulo de forma eficaz.

Uma avaliação completa da fertilidade também inclui exames físicos para verificar se existem varicoceles ou outras anomalias, testes hormonais para descobrir potenciais desequilíbrios que possam afetar a produção de esperma e estudos de imagem para identificar obstáculos estruturais. Ao integrar estes dados, os prestadores de cuidados de saúde podem determinar as opções de tratamento mais adequadas e adaptadas às circunstâncias únicas de cada indivíduo, desde ajustes no estilo de vida e intervenções médicas a soluções cirúrgicas.

Tratamento da infertilidade masculina

O tratamento dos seus problemas de fertilidade masculina pode começar agora mesmo. Se está sentado, levante-se, e se está de pé, comece a mexer-se. Quaisquer melhorias na saúde física e na atividade podem melhorar o potencial de fertilidade. O que mais pode fazer depende do que for encontrado na sua avaliação detalhada.

O seu médico pode recomendar as seguintes mudanças:

Iniciar suplementos nutricionais. Mas tenha cuidado. Nem todos os suplementos que promovem a melhoria da fertilidade são iguais. Um estudo de 2019 descobriu que muitas alegações feitas em suplementos de fertilidade de venda livre não são apoiadas por evidências suficientes e devem ser usadas com cautela. Com base na investigação, no nosso consultório iniciamos os homens com um cocktail de Coenzima Q10, óleo de peixe e um suplemento combinado repleto de antioxidantes benéficos (vitamina D, vitamina E, zinco e selénio).

Repare as suas veias grandes. Diretrizes recentes, apoiadas pela investigação, promoveram a correção cirúrgica de varicoceles de alto grau para melhorar a qualidade do esperma e até os valores de testosterona. Este procedimento trata da dilatação anormal das veias do escroto, que pode alterar a temperatura à volta dos testículos e prejudicar a produção de esperma. As melhorias após a cirurgia podem levar a melhores possibilidades de conceção natural.

Iniciar medicamentos. Dependendo da causa subjacente da infertilidade, os medicamentos podem desempenhar um papel crucial. Os desequilíbrios hormonais, por exemplo, podem ser corrigidos com medicamentos que aumentam a produção natural de testosterona e de outras hormonas envolvidas na produção de esperma. Estes medicamentos não baseados na testosterona incluem o citrato de clomifeno ou o anastrozol.

A reposição direta de testosterona não é frequentemente recomendada, uma vez que pode interromper a produção total de esperma. No entanto, estudos recentes descobriram que a utilização de testosterona intranasal é uma opção viável para os homens que pretendem continuar com a terapêutica de substituição, mas sem afetar a contagem de espermatozoides.

Pode ser necessária a produção assistida. A injeção intracitoplasmática de espermatozoides é uma técnica poderosa frequentemente utilizada em conjunto com a fertilização in vitro. Envolve a injeção direta de um único espermatozoide num óvulo para facilitar a fertilização. É particularmente útil para homens com baixa contagem de espermatozoides ou com problemas de motilidade ou morfologia dos espermatozoides.

Não fique em silêncio

A resolução do problema da infertilidade masculina requer cuidados que vão para além dos limites do tratamento médico. Numa cultura em que os homens não falam sobre fertilidade e em que a infertilidade define erradamente alguém como menos homem, precisamos de criar uma cultura em que possamos falar sobre a saúde reprodutiva masculina.

Como urologista especializado nesta área, vejo a necessidade crítica de uma maior consciencialização e compreensão. Ao fornecer apoio emocional e educação abrangente sobre o tema, podemos transformar a conversa em torno da infertilidade masculina, tornando-a um assunto que é discutido abertamente em vez de ser sussurrado no quarto ou na clínica.

Relacionados

Vida Saudável

Mais Vida Saudável

Patrocinados