Idade do pai também afeta o sucesso dos tratamentos para a infertilidade, indica estudo

27 jul, 14:02
Grávida

O sucesso de uma Fertilização in Vitro depende também da idade do pai, sobretudo se o homem tiver mais de 40 anos

Não é só a idade da mulher que tem impacto quando estão em causa tratamentos para a infertilidade. Um estudo britânico que analisou quase 19 mil ciclos de Fertilização In Vitro (FIV) concluiu que se o pai tiver mais de 40 anos, e sobretudo se a mãe tiver entre 35 e 40 anos, se verifica uma "descida significativa" no número de nados-vivos em resultado dos tratamentos de reprodução assistida.

"Estas descobertas somam-se a um conjunto crescente de evidências que mostram que a fertilidade também é muito um assunto masculino", disse ao The Guardian Kate Brian, diretora de operações da Fertility Network UK, uma organização de aconselhamento para casais com problemas de fertilidade. 

A pesquisa foi levada a cabo de forma retrospetiva, com dados anónimos recolhidos pelo regulador britânico para a fertilidade, a Autoridade para a Fertilidade Humana e Embriologia, numa tradução literal. Foi analisada a interação da idade materna e paterna em 18.825 ciclos de FIV e ICSI - Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoide, um método de reprodução assistida semelhante à FIV em que o espermatozoide é injetado no interior do óvulo - com a transferência de um único embrião a fresco, ou seja, sem criopreservação. 

Os resultados mostraram que a idade do pai tem menos impacto se a mãe tiver menos de 35 anos: "Os resultados do laboratório indicam que os óvulos de mulheres mais novas têm a capacidade de reparar a muito mais alta incidência de danos no ADN encontrados no esperma de homens mais velhos", disse ao Guardian Geeta Nargung, ginecologista e uma das autoras do estudo. Quando a mulher tem mais de 40 anos, a qualidade dos óvulos é menor e estes têm menor capacidade de reparar problemas no esperma. 

"O que é muito interessante é que a idade do homem parece ter mais impacto quando a mulher tem entre 35 e 40 anos", explica a especialista. A taxa de nascimento de nados-vivos, que é de 32,8% com idade paterna inferior a 35 anos, cai para 27,9% quando o pai tem entre 40 e 44. Se o pai tiver mais de 55 anos, esta taxa desce mesmo para os 25%.

"Sabemos que mais idade paterna atrasa a conceção, reduz a taxa da fertilização e pode levar a um aumento dos abortos ou problemas de saúde mental nos filhos. Mas agora sabemos que, para mulheres de uma certa faixa etária, a idade paterna é mais significativa do que considerávamos antes no que diz respeito à taxa de nascimento de nados-vivos", acrescenta Geeta Nargung. 

A ginecologista diz ainda que esta tomada de consciência deverá incentivar a educação para a fertilidade de ambos os sexos, logo desde a infância e sobretudo para casais que estão a planear ter filhos. "Há demasiado tempo que este fardo recai sobre a mulher, e a contribuição do homem nos riscos a curto e médio prazo para os filhos, relacionados com uma idade paterna avançada, têm sido amplamente ignorados", sublinha Nargung.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados