Portugal
Finalizado
2 - 1
Chéquia

Portimonense-AVS, 1-2 (crónica)

Pedro Lemos , Portimão Estádio
25 mai, 21:48
Portimonense-AVS (Foto: Luís Forra/LUSA)

Com um pé na Primeira Liga

O Portimonense ainda se lembrará bem daqueles segundos fatídicos na semana passada. Os algarvios estiveram com um pé e meio na I Liga, mas, em minuto, viram o Boavista marcar de penálti e assegurar essa vaga.

O drama terá deixado marcas numa equipa que se viu, assim, obrigada a disputar o play-off frente a um AVS que, em abono da verdade, também está longe de estar na melhor fase da época.

Hoje, nada ficou decidido. Foi só a primeira mão desse play-off, mas, diz o ditado popular, candeia que vai à frente alumia duas vezes. E, apesar de estar tudo em aberto, o AVS parte para a segunda mão, que disputará na Vila das Aves, em vantagem.

Em Faro, nesse dérbi dramático, o Portimonense mostrou a sua melhor versão da época – a equipa de Paulo Sérgio jogou muito bem e abriu o apetite para o que seriam estes dois jogos de play-off.

Mas hoje, os de Portimão voltaram a desiludir.

A primeira parte foi de profunda desinspiração: o primeiro remate do encontro até foi dos algarvios – por Carlinhos – mas, ao longo de 45 minutos, o Portimonense nunca levou verdadeiro perigo à baliza adversária.

O AVS, por sua vez, parecia mais confiante, comandado por um Benny que se exibiu a grande nível.

A equipa de Jorge Costa marcou o único golo da primeira parte num lance confuso. Benny bateu um canto pela direita, houve uma série de ressaltos, até a bola chegar aos pés de Anthony Correia que rematou para o fundo das redes (20 minutos).

Depois do golo, o Portimonense até teve mais bola, mas era uma posse inconsequente. O livro batido por Carlinhos, aos 39 minutos, que obrigou Simão a defender para canto terá sido o melhor que os algarvios conseguiram.

Paulo Sérgio não podia estar contente – por isso, não foi de estranhar que, logo no reatamento, tenha mudado duas peças: saíram Guga e Seck para entradas de Formiga e Gonçalo Costa.

Só que, logo no início da segunda parte, o AVS voltou a chegar ao golo. Benny, o melhor em campo, recebeu um passe dentro da área e, de ângulo muito apertado, rematou para o fundo das redes. Nakamura só viu a bola a entrar.

Com o segundo golo, a equipa de Jorge Costa, que já se sabe que não será treinador do AVS na próxima temporada, recuou no terreno para defender a preciosa vantagem.

O Portimonense tentou de tudo; foram lançados nomes como Luan, Midana ou Davis, mas os algarvios voltaram a cometer um dos principais pecados desta temporada – a falta de eficácia na concretização.

Mais com o coração do que com a cabeça, a equipa de Portimão conseguiu reduzir já perto do final. Gonçalo Costa cruzou e Teixeira, ao tentar impedir o remate de Midana, fez um auto-golo (86m).

Os últimos minutos foram de muitos nervos: o AVS ainda ficou reduzido a 10, por expulsão de Fábio Pacheco, e Luan teve o empate nos pés.

Os algarvios acordaram tarde e não souberam usar o fator casa para se colocarem à frente na eliminatória.

Falta a segunda mão, na Vila das Aves, na qual o AVS entrará em vantagem.  

Patrocinados