Cucurella foi usado para se cometer um crime

15 jun, 20:00
Cucurella

ESPANHA 3-0 CROÁCIA || Yamal é mesmo bom? Check. Fabián Ruiz foi o único a estar envolvido nos três golos? Check. O defesa esquerdo de Espanha tem nome de especiaria e cabelo de guitarrista dos At the Drive-In? Check. E foi por causa dele que Grimaldo não jogou - e é aí que os detetives entram em ação

Cometimento de um crime: o melhor do jogo 

"É um crime o Grimaldo não estar a jogar", ouvi isto na redação da CNN quando o Espanha-Croácia ia nos 20 minutos, a Espanha tinha começado com mais posse, 60%-40% nos 10 minutos iniciais mas 10 minutos depois a Croácia já tinha posto tudo nos 50%-50%, o jogo estava triste, muito passe lateralizado, passe para o lado ou para trás costuma ser sintoma de respeito pelo adversário ou de modelo de jogo sem imaginação, supomos que aqui é a hipótese 1, aos 20 minutos a Espanha tinha um remate feito e a Croácia nenhum, mandei nessa altura uma notificação para a app da CNN que dizia "a Espanha começou melhor mas agora é a Croácia que está por cima - siga aqui o jogo do dia", minutos depois o Morata estava a fazer o 1-0 e aprendi uma coisa nesse momento e reparei noutra: aprendi que a realidade contraria muito facilmente os meus pushes, o que abre um leque de possibilidades entusiasmantes nos próximos jogos, do género mandar uma notificação aos 20 minutos do Portugal-Chéquia a dizer "a Chéquia joga muito e Portugal nadinha", depois é esperar que o nosso Morata-Ronaldo faça o mesmo que o Morata-Morata espanhol; reparei que esta Espanha, ao contrário das Espanhas de outrora, é bem mais forte na saída rápida para o ataque do que na monotonia avassaladora do tiki-taka, foi quando a Espanha começou a ter menos posse neste jogo que se tornou mais perigosa e a rematar mais, sendo que foi quando a Croácia passou a ter mais bola que a própria Croácia passou a rematar mais - e isto diz-nos que a Croácia tem défice de saída rápida e de eficácia, pelo menos teve neste jogo e não a favoreceu, e esta Espanha tem défice de tiki-taka mas mais-valias velocistas e pragmáticas, pelo menos teve neste jogo e isso favoreceu-a.

Reparem que fizemos todas estas considerações com base numa frase sobre o ato criminoso de o selecionador espanhol ter deixado o Grimaldo no banco e não fizemos qualquer consideração sobre o ato criminoso em si, portanto agora entra em ação Germano Mac Taylor - que, para quem não sabe (como assim?), é o sereno superdetetive do CSI: New York -, dizia portanto que agora entra em ação Germano Mac Taylor porque  já chega de Germano Oliveira: o único jogador a estar envolvido nos três golos de Espanha foi Fabián Ruiz - isolou Morata no primeiro, o próprio Fabián Ruiz fez o segundo e o mesmo Fabián Ruiz esteve envolvido no processo de canto curto que deu o 3-0 final do jogo; mas Cucurella, que tem um nome lindíssimo - Cucurella é algo que apetece usar num refogado (ou estrugido, consoante a geografia portuguesa) para fazer massa de frango -, mas retomando: Cucurella foi factualmente o primeiro jogador a participar no primeiro golo de Espanha, recuperou pelo ar uma bola que podia ser simplesmente cortada aleatoriamente ou cortada para ser dada em condições de sair a jogar, Cucurella exerceu a opção dois, a bola foi para Rodri, que deu de primeira para Fabián Ruiz e o resto já contámos; Cucurella foi também factualmente o primeiro jogador a participar no segundo golo de Espanha, foi a partir de um lançamento de linha lateral, deu para Pedri e esse momento resultou instantes depois num 3-0 que envolveu ainda um passe longo para o vibrante Yamal

a propósito do Yamal,  o Pedro Falardo descreveu-o assim há dias: "Quando Messi ganhou a sua primeira Champions, Lamine Yamal não era nascido. Quando Cristiano Ronaldo ganhou a sua primeira Champions, Lamine Yamal não sabia andar. Quando o primeiro iPhone foi lançado, Lamine Yamal era apenas um feto. Acho que já percebeu a ideia: o jogador do Barcelona é assustadoramente novo para quem joga como joga. Para bem dele, oxalá não seja mais um Ansu Fati", acho que era importante partilhar isto

portanto o Grimaldo foi vítima de um crime, foi sim, porque o Grimaldo, ex-Benfica e que levou um cozinheiro português para a Alemanha (levou mesmo, temos AQUI a história do chefe João Caeiro), o Grimaldo é muito bom mas este Cucurella é ótimo, raçudo, determinado, valente, aos 54' atirou-se para a frente da bola quando só havia o próprio Cucurella entre um avançado croata e a linha de baliza, o Cucurella sujou-se daquela maneira corajosa para deixar o resultado limpo para a Espanha, a bola bateu nele porque se não tivesse batido seria 3-1, e há ainda uma virtude adicional no Cucurella, ele tem um cabelo à guitarrista de At the Drive-In e só por isso merece ser titular, o que deixa duas alternativas ao Grimaldo: deixar crescer o cabelo como o vocalista dos At the Drive-In e esperar que o selecionador prefira um vocalista a um guitarrista; esperar que Espanha chegue ao último jogo já qualificada para haver alguma rotatividade no onze.

Os golos

1-0, POR MORATA


2-0, POR FABIÁN RUIZ


3-0, POR CARVAJAL

Pensar no Portugal-Croácia: o pior do jogo 

Foi precisamente há uma semana que permitimos à Croácia que saísse de Portugal com o moral intacto, a Croácia foi mais inteligente que nós há uma semana, foi mais intensa, mais concentrada, mais prática, mais agressiva, enfim, foi mais forte e uma semana depois de o nosso moral ter esvaziado vemos esta Croácia lenta, desinspirada, chata até, e saímos deste 3-0 a questionar se foi a Espanha que obrigou a Croácia a ser tão pouco - se foi, ótimo para a Espanha mas péssimo para Portugal, significa que Portugal não sabe tornar os rivais enfadonhos - ou se foi só um dia mau da Croácia - ótimo à mesma para a Espanha e tranquilizador (na medida do possível) para Portugal, mas ainda assim ficamos a pensar nisto: a Croácia leva três da Espanha depois de quase nos ter dado três ou mais se não tivesse sido o Diogo Costa.

O resultado: a surpresa do jogo

A Espanha teve menos bola (46%), menos remates (11 contra 15), menos eficácia de passe (85% contra 87%), correu menos (118 km contra 118,6 km), são tantos menos mas marcou três vezes e a Croácia nenhuma - portanto: a diferença do resultado é ainda mais surpreendente quando se analisa a tendência estatística do jogo.

O 3-1 que só existiu durante um minuto: o momento do jogo

Se houver algum especialista de arbitragem por aqui: escreva por favor para gaoliveira@cnnportugal.pt, precisamos de saber se o Rodri devia ou não ter sido expulso no lance que deu momentaneamente o 3-1 - e sim, estamos a par da regra da dupla e tripla penalização mas parece mesmo que o Rodri não tentou jogar a bola. Entretanto: o universo realinhou os chacras quando o VAR interveio para anular a recarga àquela defesa cintilante do Unai Simón - uma defesa daquelas não merece recarga porque é-lhe devida apenas celebração, sobretudo quando acontece após um erro sombrio como aquele que o próprio Unai Simón cometeu e que resultou no penálti.

Euro 2024

Mais Euro 2024

Patrocinados