Itália, o candidato taticamente flexível

15 jun, 09:41
Itália (EPA/KENA BETANCUR, via Lusa)

Luciano Spalletti é o atual treinador da seleção italiana de futebol, tendo assumido o cargo após a saída de Roberto Mancini. Spalletti é um treinador experiente e é conhecido pela sua flexibilidade tática. Geralmente prefere um sistema 4x3x3, mas pode em alguns momentos e jogos, optar pelo 5x3x2.

O selecionador italiano optou por convocar 30 jogadores para a preparação do Euro, mas terá que prescindir de quatro deles para a lista final. As principais surpresas foram, a estreia de Riccardo Calafiori (Bologna) e as chamadas de Raoul Bellanova (Torino), Ncolò Fagioli (Juventus) e Michael Folorunsho (Hellas Verona)

Momento Ofensivo

Em situação de pontapé de baliza, a seleção italiana procura uma saída com os quatro defesas, com um médio no apoio, optando por uma saída curta nos centrais, ou colocar a bola diretamente no lateral. A equipa normalmente procura através de combinações de apoio frontal e em poucos toques ultrapassar o bloco defensivo adversário.

Saída de bola da seleção italiana, com o seu posicionamento base 4 + 2

A Itália em construção num bloco mais alto pode procurar construção a três ou a dois, mas independentemente disso procuram ter jogadores próximos do lado da bola, para atrair o adversário a um lado e depois procurar jogar no corredor contrário. Procuram atacar maioritariamente pelos corredores, criando situações de superioridade para tirarem cruzamentos com dois/três jogadores a aparecer em zonas de finalização.

Ocupação de zonas de finalização da seleção italiana

Momento Defensivo

A pressão alta da equipa italiana é um dos seus pontos fortes: é muito agressiva, procurando dificultar a saída de bola do adversário. Numa primeira fase pode ser zonal, mas quando a bola entra em zonas mais adiantadas no centro do terreno, ou nos corredores laterais, a intensidade aumenta e aí já vemos muitas marcações individuais.

Pressão alta e agressiva, procuram retirar apoios interiores

No seu bloco médio a equipa está mais expectante, mas tem indicadores de pressão bem definidos, aumentando a intensidade quando há passe para trás, ou quando existe um passe vertical por dentro do bloco defensivo. Nesses momentos aumentam a intensidade, tendo muito sucesso nessa recuperação. Esta agressividade na pressão faz com que a equipa assuma algumas vezes igualdade numérica em zonas mais defensivas, acabando por sofrer alguns golos nesse momento de jogo.

Equipa posicionada em bloco médio, em 5x4x1, com um comportamento mais passivo

Jogador Destaque:

Nicolo Barella é atualmente uma das grandes referências do meio campo da seleção italiana. O médio do Inter de Milão é um jogador que alia capacidade de trabalho à sua visão de jogo e à qualidade de passe. Para além das competências técnicas, Barella é um líder dentro de campo.

Jogador Promessa:

Giacomo Raspadori. Sendo da geração de 2000, Raspadori é um talentoso avançado que atualmente representa o Nápoles. Destaca-se pela sua capacidade técnica, inteligência tática e versatilidade, sendo capaz de finalizar com os dois pés. Tem uma boa leitura de jogo e pode ser uma referência para combinar no jogo longo, bem como procurar movimentos na profundidade.

Seleção

Mais Seleção

Mais Lidas

Patrocinados