Elon Musk vai reunir-se com funcionários do Twitter pela primeira vez

14 jun, 17:26
Elon Musk. (Patrick Pleul/Pool via AP)

Reunião pode ser um sinal de que o conflito entre o CEO da Tesla e a rede social, por causa do volume de contas falsas, amenizou. Por outro lado, os gigantes financeiros observam a incerteza da aquisição com muitos, muitos milhões em jogo

Elon Musk vai dirigir-se aos empregados do Twitter pela primeira vez, esta quinta-feira, desde que o bilionário e CEO da Tesla e da SpaceX ofereceu 44 mil milhões de dólares (cerca de 42 mil milhões de euros) para comprar a rede social, disse a empresa na terça-feira.

A notícia foi avançada pelo Business Insider, e confirmada pela agência Reuters, que cita o CEO do Twitter, Parag Agrawal, como tendo anunciado, via e-mail, uma reunião prática com todos os empregados, encorajando-os também a colocarem perguntas antecipadamente.

Musk chegou a acordo para adquirir o Twitter em abril, mas desde então tem entrado em conflito com a empresa repetidamente sobre o número de bots, ou contas falsas, que existem na plataforma. O dono da Tesla e da SpaceX chegou mesmo a dizer, a 13 de maio, que iria suspender o negócio, realçando que precisava de mais dados da empresa sobre essas contas falsas.

Ações do Twitter a serem negociadas até 14 de junho

Contudo, não está ainda claro se a reunião desta semana significa que os dois lados se aproximaram na resolução do conflito. Isto num momento em que as acções do Twitter têm sido negociadas muito abaixo dos 54,20 dólares (52,02 euros) por ação que Musk ofereceu para consumar o negócio.

Para os bancos que trabalham no negócio, está em jogo um enorme volume de lucros. Morgan Stanley, Goldman Sachs, JPMorgan Chase, Bank of America, Barclays e Allen & Co estão a ganhar 191,5 milhões de dólares (cerca de 183 milhões de euros) em comissões, o maior pagamento deste ano e o terceiro maior desde 2020, de acordo com dados da Refinitiv.

Contudo, a maior parte dessa soma está dependente do fecho da aquisição. Se o negócio for cancelado, a Goldman Sachs ganharia apenas 15 milhões de dólares (14,32 milhões de euros), muito abaixo dos 80 milhões de dólares (76,8 milhões de euros) que ganharia se Elon Musk finalizar a compra, de acordo com registos regulamentares fornecidos ao jornal Financial Times. O JPMorgan, por exemplo, poderá ganhar 53 milhões de dólares (50,8 milhões de euros), mas só vai embolsar 5 milhões de dólares (4,8 milhões de euros) caso o negócio caia.

No entanto, com os líderes das empresas preocupados com uma potencial recessão e com a incerteza alimentar causada pela guerra na Ucrânia, as taxas bancárias globais de investimento caíram para cerca de 44 mil milhões de euros este ano - chegaram aos 67 mil milhões no mesmo período do ano passado - e, segundo dados da Refinitiv, é a taxa mais baixa nesta altura do ano desde 2016. Também os retornos dos bancos no negócio do Twitter já foram reduzidos por Musk ter decidido não utilizar um empréstimo de margem para ajudar a financiá-lo, já que inicialmente tinha garantido compromissos dos bancos no valor de 12,5 mil milhões de euros em empréstimos contra uma parte das suas ações da Tesla.

Semanas depois de anunciar estes termos, Musk cortou-os ao meio para cerca de 6 mil milhões de euros, antes de acabar por eliminar completamente este empréstimo de margem. 

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Tecnologia

Mais Tecnologia

Patrocinados