Junta de Benfica culpa "proximidade" com a Amadora e transportes por aumento dos assaltos - e por isso quer videovigilância

Agência Lusa , AG
22 abr, 20:58
Videovigilância (Getty)

Uma escola foi assaltada e têm sido vários os episódios de violência nos últimos dias, garante a junta de freguesia

O presidente da junta de freguesia lisboeta de Benfica defendeu esta segunda-feira a instalação de videovigilância para prevenir as situações de pequena criminalidade, que aumentaram na zona e motivaram o lançamento de uma petição por parte dos moradores.

Durante uma audição numa comissão da Assembleia Municipal de Lisboa, a propósito de uma petição que pede a “implementação de medidas de prevenção e de combate à criminalidade no bairro de Santa Cruz de Benfica e zonas contíguas”, Ricardo Marques (PS) admitiu que se vive “um mau estar”.

Nos últimos meses, relatou, a zona tem sido “alvo recorrente de incidentes de segurança”, nomeadamente assaltos a viaturas, habitações e “intrusão” nos quintais das moradias.

“Ainda esta noite a freguesia teve a escola José Salvado Sampaio assaltada. Roubaram-nos o quadro informativo em ferro da escola, bem como duas portas em alumínio”, contou.

Segundo explicou Ricardo Marques, “a proximidade” com o concelho vizinho da Amadora e a interfaces de transporte “têm exposto o bairro de Santa Cruz de Benfica a algum tipo de delinquência”.

Desde o início do mês as autoridades registaram a intrusão em sete vivendas e alguns jovens foram assaltados à saída de estabelecimentos de ensino.

“Muito furto por esticão e muito estes pequenos roubos. Felizmente, têm muito pouco impacto do ponto de vista daquilo que é o impacto físico. Ou seja, não há agressões físicas, a registar nos últimos anos”, ressalvou.

Face a este sentimento de insegurança, o presidente da Junta de Freguesia defendeu a necessidade de ser instalado na zona de fronteira com o concelho da Amadora um sistema de videovigilância, à semelhança daquilo que já existe no município vizinho, e um reforço da vigilância policial nas zonas mais problemáticas.

“A Junta de Freguesia de Benfica tem vindo a pedir à Câmara Municipal de Lisboa duas ações, uma delas é a colocação de câmaras de videovigilância. Já é o terceiro ofício que enviamos”, contou.

Para o autarca, a colocação de câmaras de videovigilância “iria contribuir para reforçar o sentimento de segurança” e “dissuadir a prática dos roubos”, já que no concelho da Amadora a criminalidade foi reduzida em 60%.

Além da colocação de câmaras de videovigilância, na petição os moradores de Santa Cruz pedem também o reforço do policiamento comunitário e instam o Ministério da Administração Interna a dotar a esquadra de Benfica “dos meios e recursos necessários”, assim como a dotar o bairro de mais um guarda-noturno.

Segundo indicou na audição o autarca de Benfica, a esquadra local está a funcionar com 72% dos efetivos.

A Assembleia Municipal irá ainda ouvir um representante do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) e da Polícia Municipal a propósito da petição.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Lidas

Patrocinados