Twitter investigado pela justiça por contas falsas

CNN Portugal | CNN
6 jun, 21:18
Twitter. Foto: AP

A notícia foi revelada esta noite pelo Wall Street Journal: as autoridades do Texas estão a investigar o Twitter por contas falsas

O Twitter está a ser investigado pela autoridades judiciais do Estado do Texas por causa de contas falsas, que podem estar a empolar os números da rede social, prejudicando “consumidores e empresas”, eventualmente manipulando os investidores desta empresa, que é cotada em Bolsa nos Estados Unidos.

Estas são as suspeitas. Em causa estão sobretudo as contas abertas por “bots” (uma espécie de “robots”), para amplificar determinadas mensagens. O procurador-geral do Texas, avança o jornal, está a pedir ao Twitter documentos internos e a forma de cálculo a partir dos seus dados. O Twitter tem até 27 de junho para responder.

Estes desenvolvimentos ocorrem no dia em que Elon Musk ameaçou desistir da compra do Twitter precisamente por suspeitar que as contas falsas são em número muito mais elevado do que o que tem sido divulgado pela empresa.

Musk exige ter acesso a dados detalhados da empresa que propôs comprar, nomeadamente quanto ao peso do “spam” e das contas falsas na rede social. Segundo Musk, o Twitter recusou fornecer essa informação interna.

A proposta de compra de Musk foi lançada em abril, numa proposta de 44 mil milhões de dólares.

Negócio cancelado?

Elon Musk comunicou esta segunda-feira a maior ameaça até agora de cancelar a sua proposta de compra do Twitter, acusando abertamente a empresa de redes sociais de violar o acordo de fusão ao não fornecer os dados que solicitou sobre “spam” e contas falsas.

Numa carta dirigida ao diretor do departamento jurídico, política e confiança do Twitter, Vijaya Gadde, Musk alegou que o Twitter está “a resistir ativamente e a frustrar os seus direitos de informação”, conforme eles foram delineados pelo acordo.

"Trata-se de uma clara violação material das obrigações do Twitter ao abrigo do acordo de fusão e o Sr. Musk reserva-se todos os direitos daí resultantes, incluindo o seu direito de não consumar a transação e o seu direito de rescindir o acordo de fusão", escreveu um advogado que representa Musk à empresa.

Musk exigiu que o Twitter entregasse informações sobre as suas metodologias de teste para apoiar as suas alegações de que os “bots” e as contas falsas constituem menos de 5% da base de utilizadores ativos da plataforma, número que a empresa tem vindo a divulgar consistentemente ao longo de anos em divulgações públicas. Musk também requereu fazer a sua própria avaliação independente às bases de dados do Twitter.

As ações do Twitter caíram 5% no início das negociações de segunda-feira. Mesmo antes do último desenvolvimento, as ações já estavam a ser negociadas muito abaixo da oferta de aquisição da Musk de 54,2 dólares por ação, o que provavelmente indica o ceticismo dos investidores quanto ao negócio em curso.

A empresa não respondeu imediatamente a um pedido de comentários sobre a carta. O presidente executivo do Twitter, Parag Agrawal, manteve-se fiel à métrica de “spam” da sua empresa durante muito tempo.

Musk alegou que o verdadeiro número de contas de “spam” é provavelmente muito maior, podendo atingir os 90%. Musk afirmou anteriormente que a aquisição "não pode avançar" até a empresa fornecer "prova" da sua métrica de “spam”.

Analistas de Wall Street disseram que este recuo pode ser um caso de arrependimento do comprador e um esforço para pressionar o Twitter a negociar um preço mais baixo no negócio de 44 mil milhões de dólares. Desde o início que tem havido perguntas sobre como o Musk financiaria a aquisição. As ações das empresas de redes sociais também sofreram um golpe nas últimas semanas, no nervosismo do mercado em geral.

A carta de segunda-feira especulava que o Twitter poderia estar "a reter os dados solicitados devido à preocupação com o que a própria análise do Sr. Musk sobre esses dados irá revelar".

A carta também alegava que o Twitter tinha procurado restringir o acesso à informação através de uma interpretação restrita do acordo de fusão, de modo a que o fornecimento da informação ficasse fora do âmbito dos requisitos contratuais do Twitter. Mas a carta acusava que, mesmo através das definições restritas do Twitter, este ainda tem a obrigação de fornecer a informação.

Num processo separado, o Twitter revelou anteriormente que Musk tinha renunciado a uma cláusula de verificação de contas financeiras no acordo que poderia facilitar a sua retirada do negócio; sem ela, Musk poderia enfrentar uma escalada mais dura, e a perspetiva de litígio.

Ao fazer o acordo de compra do Twitter, Musk fez dos “bots” de “spam” na plataforma uma questão central. Prometeu derrotá-los ou "morrer a tentar", mesmo tendo descrito o Twitter como sendo vital para "o futuro da civilização".

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados