Nova tendência viral do TikTok preocupa o aeroporto de Heathrow: passageiros fingem que precisam de cadeiras de rodas para escapar às filas

26 jul, 22:01
Aeroporto de Heathrow

Chefe do aeroporto lamenta que os passageiros se apropriem de recursos já escassos e pede: "por favor, não façam isto"

A influência do TikTok é inquestionável, particularmente nas gerações mais jovens. No entanto, as tendências que surgem na plataforma nem sempre são inócuas - se, por vezes, viralizam atos de solidariedade para com o próximo, outros tipos de conteúdo são mais eticamente ambíguos. O chefe do aeroporto de Heathrow vem denunciar agora uma nova tendência preocupante: vários passageiros da companhia aérea estão a alegar problemas de locomoção para evitar as filas de espera. 

De acordo com o The Guardian, a inspiração parece ter partido de um vídeo em particular, publicado em junho. A primeira frase que surge no ecrã, enquanto o utilizador despe uma meia, resume todo o conteúdo: "Fingi ter magoado a perna para poder passar mais depressa pela segurança e entrar no avião". Em pouco mais de um minuto, o homem mostra como lhe foi imediatamente disponibilizada uma cadeira de rodas e obteve acesso a filas alternativas e bancos mais espaçosos no avião. 

@wolfjenko Amazing what taking one sock off can achieve 😂✈️ #holiday #wheelchair #vip #foryoupage #foryou #prank #funny #fypシ ♬ original sound - WolfJenko

John Holland-Kaye, chefe daquele que é um dos aeroportos mais movimentados do mundo, relaciona o súbito aumento de passageiros que afirmam possuir possuir mobilidade reduzida com as "dicas de viagem que as pessoas estão a recomendar" no TikTok. 

"Temos mais procura por parte de passageiros que necessitam do apoio de cadeiras de rodas do que tínhamos antes da pandemia. Porque é que isto está a acontecer? Parte da explicação é que as pessoas estão a tentar usar o apoio de cadeiras de rodas para passar mais rapidamente pelo aeroporto. Isto é absolutamente incorreto." 

O responsável explicou ainda que metade dos passageiros que requisitaram assistência só o fez no interior do avião, o que reforça as suspeitas de que o serviço solicitado não era realmente necessário. Sendo impraticável comprovar a autenticidade de cada caso, John Holland-Kaye pede a todas as pessoas que "verdadeiramente precisam do serviço" que o comuniquem "antecipadamente, para que nos certifiquemos de que há uma equipa pronta a responder às vossas necessidades". Quanto às restantes, resta apelar: "por favor, não façam isto".

Além da influência dos conteúdos consumidos no TikTok, frequentemente imitados e catapultados para a realidade, uma outra explicação para esta estratégia pode residir também na situação caótica que tem dominado os aeroportos europeus - e a que os passageiros procuram escapar. 

Mas as longas filas de espera e voos cancelados não foram as únicas dificuldades com que o aeroporto de Heathrow se confrontou este mês. No início de julho, o Departamento de Transportes instou o responsável pelo aeroporto a garantir que dispunha de trabalhadores suficientes para responder às necessidades dos passageiros com deficiência. 

Perante este fluxo de passageiros que se apropriam de recursos já escassos, John Holland-Kaye conclui: "Tudo o que podemos fazer é empregar ainda mais pessoas, para garantirmos que todos têm capacidade de viajar de cadeira de rodas. Mas também temos de garantir que as pessoas que não precisam não usam esse serviço". 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados