Antidepressivos tiram a dor, mas também o prazer. Cientistas alertam para o “embotamento emocional”

CNN Portugal , DCT
23 jan, 09:00
Medicamentos (Pexels)

Trata-se de uma espécie de cegueira emocional, um estado de apatia que desliga a pessoa dos sentimentos negativos - e que causam a depressão e a ansiedade -, mas também dos positivos.

As pessoas que tomam antidepressivos não ficam apenas aptas para se ‘desligar’ de sentimentos negativos, como também se desligam dos positivos. 

A conclusão é de um recente estudo da Universidade de Cambridge, publicado na revista Neuropsychopharmacology, que revela que a toma destes fármacos por apenas três semanas é suficiente para causar aquilo a que os cientistas chama de “embotamento emocional”, um estado geral de apatia, independentemente se a emoção é negativa ou positiva.

Para o estudo, os cientistas analisaram 66 voluntários que, aleatoriamente, receberam durante 21 dias ou escitalopram - um medicamento inibidor seletivo da recaptação da serotonina (SSRI) - ou placebo. Os participantes responderam a testes cognitivos em que, entre outros fatores, era avaliada a atenção e a memória.

Quem tomou o antidepressivo apresentou uma menor resposta à aprendizagem por reforço, independentemente se esse reforço fosse positivo ou negativo, tendo até mostrado mais lentidão na resposta a recompensas. 

O estudo destaca que “estas novas descobertas fornecem fortes evidências para um papel fundamental da serotonina na aprendizagem por reforço”. Mas a nível de atenção e memória, o medicamento não apresentou qualquer impacto.

Em declarações ao The Guardian, a professora Barbara Sahakian, uma das mentoras do estudo, diz que os medicamentos inibidores seletivos da recaptação da serotonina, comumente usados como terapêutica para a depressão, continuam a ser benéficos para quem lida com problemas de saúde mental, mas” tiram um pouco da dor emocional (...), mas infelizmente parece que também tiram um pouco do prazer”.

Mas esta não é a primeira vez que a toma de antidepressivos é associada ao “embotamento emocional”. Em 2021, um estudo publicado na Frontiers in Psychiatry dava conta de que 40% a 60% das pessoas que tomam antidepressivos se sentem apáticas emocionalmente, não sendo, porém, claro se se trata de um efeito direto da medicação ou do estado de depressão em que a pessoa se encontra.

Os autores deste novo estudo defendem um aprofundamento da investigação para avaliar o impacto da toma crónica - para lá de 21 dias - dos antidepressivos na função da serotonina e, por consequência, nas emoções.

Relacionados

Saúde Mental

Mais Saúde Mental

Patrocinados