40 anos depois, kit de ADN leva mulher a descobrir que médico pioneiro de fertilidade é o seu pai biológico

CNN , Sarah Dewberry
15 dez 2023, 09:40
Carolyn Bester e a mãe Sarah Depoian (DR)

Merle Berger, um dos fundadores da Boston IVF e antigo professor da Harvard Medical School, é acusado de ter usado o próprio esperma na inseminação de uma paciente sem o seu consentimento

Mais de 40 anos depois de um casal ter procurado a ajuda de um especialista em fertilidade de Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos, a respetiva filha descobriu, através de um kit de ADN, que o médico é o seu pai biológico, de acordo com uma ação judicial apresentada na quarta-feira no Tribunal Distrital de Massachusetts.

O processo alega que Merle Berger usou secretamente o seu próprio esperma para inseminar a mãe, Sarah Depoian, em 1980.

"Trata-se de uma violação extrema", afirmou Depoian num comunicado divulgado pelo advogado, Adam Wolf. "Ainda estou a lutar para processar isto. Confiei plenamente no Dr. Berger. Pensámos que ele agiria de forma responsável e ética. Nunca irei recuperar totalmente da violação que ele me fez."

Na altura, Depoian foi informada por Berger - um dos fundadores da Boston IVF e antigo professor da Harvard Medical School - que o esperma utilizado na sua inseminação seria de um médico residente "que se assemelhava ao seu marido" e "que ela não conhecia", lê-se na queixa.

Mas, em vez disso, Berger usou o seu próprio esperma para inseminar Depoian.

"O Dr. Berger inseriu secretamente o seu próprio esperma na sua paciente, Sarah Depoian. Fê-lo sem o seu consentimento e contra a sua vontade", alegou o advogado de Depoian, Wolf, num comunicado de imprensa.

De acordo com documentos judiciais, a filha de Depoian, Carolyn, descobriu que Berger era seu pai depois de, no ano passado, ter comprado kits de ADN da Ancestry.com e 23andMe.

Os resultados mostraram que ela era parente da neta de Berger e de um primo em segundo grau do médico, de acordo com o processo. Mais tarde, Carolyn viria a descobrir toda a verdade depois de falar com "um dos parentes recém-descobertos".

"Dizer que fiquei chocada quando descobri isto seria um eufemismo extremo", declarou Carolyn no comunicado. "Parece que a realidade mudou. Só quero dizer que estou muito orgulhosa da minha mãe por ter falado e sinto-me honrada por estar ao lado dela."

Depois de saber o que tinha acontecido, Depoian contactou, através do seu advogado, Merle Berger, que não negou o facto de ela ter consentido apenas na realização da inseminação com o esperma de um dador que não a conhecia e que ela não conhecia.

A WCVB, filial da CNN, obteve uma declaração da equipa jurídica de Berger negando as alegações.

"O Dr. Merle Berger foi um pioneiro no campo da fertilidade médica que, em 50 anos de prática, ajudou milhares de famílias a realizar os seus sonhos de ter um filho", segundo a declaração. "É amplamente conhecido pela sua sensibilidade à angústia emocional das mulheres que o procuravam para obter ajuda para engravidar. As alegações dizem respeito a factos ocorridos há mais de 40 anos, nos primórdios da inseminação artificial. Numa altura anterior aos bancos de esperma e à fertilização in vitro, era dramaticamente diferente do tratamento de fertilidade dos dias de hoje."

A declaração acrescenta: "As alegações, que mudaram repetidamente nos seis meses desde que o advogado do queixoso contactou pela primeira vez o Dr. Berger, não têm mérito legal ou factual e serão refutadas em tribunal."

A CNN entrou em contacto com Merle Berger, mas sem sucesso em obter uma resposta.

A Boston IVF disse à CNN numa declaração que o incidente aconteceu antes da sua existência. "Soubemos recentemente que o Dr. Merle Berger foi citado num processo", disse a empresa. "Este assunto ocorreu há mais de 40 anos, antes do emprego do Dr. Berger na BostonIVF e, na verdade, antes de nossa empresa existir. Gostaríamos de salientar que o campo da endocrinologia reprodutiva e da infertilidade é muito diferente do que era há décadas, e as medidas de segurança e salvaguardas atualmente em vigor tornariam tais alegações virtualmente impossíveis hoje em dia. Os pacientes devem ter a certeza de que a nossa área continua a manter os mais rigorosos padrões éticos e médicos."

Merle Berger reformou-se em 2020, de acordo com a WCVB.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Mais Lidas

Patrocinados