Embaixador russo morre em Moçambique. Rússia impede autópsia e fala em "acidente vascular cerebral"

12 mai, 17:00
Alexander Surikov

Uma nota da polícia moçambicana refere o consulado russo recusou "qualquer que fosse exame do corpo e muito menos autopsia".

O embaixador russo em Moçambique, Alexander Surikov, morreu na noite de sábado, em Maputo, avança a agência de notícias russa TASS.

De acordo com uma nota enviada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, ter-se-à tratado de um acidente vascular cerebral, no entanto, uma nota da polícia moçambicana refere que o consulado russo recusou "qualquer que fosse exame do corpo e muito menos autopsia".

“O embaixador russo em Moçambique, Surikov, morreu repentinamente em Maputo. A versão preliminar é um acidente vascular cerebral. O departamento publicará um obituário oficial num futuro próximo”, escreveu a diplomacia russa. 

No entanto, uma nota policial a que a imprensa moçambicana teve acesso dão conta de que as autoridades locais tiveram conhecimento do caso por voltas das 23:00, quando o corpo do embaixador já se encontrava na morgue do Hospital Central de Maputo. Quando as autoridades chegaram ao local, o cadáver de Alexander Surikov já se encontravam "acondicionado" numa das câmaras frigoríficas da morgue.

Segundo a mesma nota, o cônsul da Rússia no país, Yuri Doroshenkov, que se encontrava acompanhado pelo responsável de segurança da embaixada russa, deu ordens expressas para que o corpo do embaixador não fosse autopsiado. No entanto, o corpo de Surikov foi fotografado pela equipa técnica do hospital.

“E por orientações vindas da Rússia, as quais chegaram à equipa técnica do piquete através do cônsul daquela Federação, o senhor Yuri Doroshenkov, o qual esteve presente na morgue acompanhado com o encarregado de segurança da embaixada, foi orientado a não fazer qualquer (…) exame do corpo e muito menos autópsia”, refere-se na informação. 

“Porém, a equipa técnica colheu fotografias do corpo do finado estando na gaveta, foram feitas fotografias à residência do mesmo e colheu-se o depoimento do cônsul”, acrescentou.

Alexander Surikov tinha 68 anos e tinha sido nomeado por Vladimir Putin para o cargo de embaixador de Moçambique em 2017.

Nas redes sociais, a conta oficial da embaixada publicou uma nota de pesar pela morte do embaixador e expressou "as suas mais sinceras condolências". 

África

Mais África

Patrocinados