Croácia
54'
0 - 1
Albânia

Ministério Público abre inquérito a acidente aéreo em Beja que matou uma pessoa

Agência Lusa , MJC
3 jun, 12:26
“A Força Aérea lamenta profundamente comunicar a existência de uma vítima mortal”: a reação ao acidente mortal

Acidente ocorreu este domingo

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito para apurar as circunstâncias em que ocorreu o acidente aéreo no festival Beja AirShow, que provocou um morto e um ferido ligeiro, revelou hoje a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Numa resposta a questões colocadas pela agência Lusa através de correio eletrónico, a PGR limitou-se a confirmar a instauração do inquérito, sem adiantar mais detalhes.

O acidente, que ocorreu às 16:05 de domingo, durante o festival Beja AirShow, na Base Aérea N.º 11 (BA11), envolvendo duas aeronaves, provocou a morte de um piloto de nacionalidade espanhola e ferimentos ligeiros num outro de nacionalidade portuguesa.

O piloto que sofreu ferimentos ligeiros, de 37 anos, teve alta hospitalar no domingo à noite, revelou à Lusa fonte da Unidade Local da Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA). Os dois pilotos pertencem à patrulha ibérica Yakstars, uma equipa de exibição acrobática constituída por seis aeronaves, com pilotos portugueses e espanhóis.

Uma das aeronaves desta patrulha que participava na demonstração aérea no Beja AirShow aterrou, pouco depois do acidente, no Aeródromo Municipal de Évora, revelou hoje à Lusa o diretor desta infraestrutura, Joaquim Piteira. “O avião foi desviado para Évora, por indicação da torre [de controlo] de Beja. Foi um procedimento de segurança, porque não conseguiu logo aterrar e, depois, como começaram as operações de socorro, veio para cá”, relatou.

Segundo o diretor do aeródromo e também comandante do Serviço Municipal de Proteção Civil de Évora, a aeronave ainda se encontra hoje de manhã naquela infraestrutura.

De acordo com a Força Aérea, entidade organizadora do festival, das duas aeronaves envolvidas no acidente, uma despenhou-se “fora do perímetro da Base Aérea e uma outra aterrou na unidade”. “Destas ocorrências, não resultaram vítimas em terra, de entre as pessoas que se encontravam a assistir ao evento nas imediações”, salientou. A Força Aérea assinalou ainda que acionou “todos os meios para a investigação do acidente” e que, devido à ocorrência, o evento foi imediatamente interrompido.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) deslocou uma equipa para a BA11, ainda no domingo, disse à Lusa fonte deste organismo. “O GPIAAF está a articular-se com a Força Aérea no que diz respeito às atividades de investigação”, visto que o festival em que ocorreu o acidente “é organizado e tem espaço aéreo controlado” por este ramo das Forças Armadas, acrescentou a mesma fonte.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados