Operação Influencer: Escária não se lembrava de mais de 60 mil euros por baixo da fotografia de Costa

17 jun, 09:56
Fotos envelopes (DR)

Maços de notas não estavam afinal numa só estante mas noutros dois locais do gabinete

Vítor Escária, chefe de gabinete do primeiro-ministro António Costa à data da operação Influencer, em novembro, foi surpreendido por uma busca da PSP no palácio de São Bento. Os agentes encontraram 75.800 euros em envelopes que estavam escondidos no gabinete – cujas imagens a CNN Portugal obteve agora em exclusivo –, e Escária mostrou-se surpreendido: disse só ter memória de ali guardar 7620 euros, afirmando à polícia não se lembrar que lá estavam, além disso, mais de 60 mil euros. 

Os maços de notas não estavam afinal numa só estante mas noutros dois locais do gabinete de Vítor Escária, um dos arguidos da operação influencer. A maior tranche encontrada pela PSP continha 40 mil euros: o dinheiro estava escondido dentro da caixa de uma garrafa de champanhe.

Mas Escária só tinha memória do envelope com a menor quantia encontrada, 7.620 euros. Explicou que o dinheiro dizia respeito a uma atividade profissional anterior em Angola. 

Ao todo, a busca a São Bento durou seis horas e 10 minutos. Foi presidida pelo juiz de instrução que acabou por não prender Vítor Escária, ao contrário do que o Ministério Público pedia. Além do dinheiro, a PSP encontrou também documentos de interesse para efeitos de prova, discos externos e pen-drives com informação de natureza fiscal sobre funcionários do Estado, alguns deles polícias.

Após ter tomado conhecimento da apreensão do dinheiro em São Bento, António Costa pediu desculpa aos portugueses e disse que a situação o envergonhava. Agora, pelas imagens a que a CNN Portugal teve acesso, percebe-se que havia até uma fotografia do primeiro-ministro por cima da estante que escondia uma fortuna em envelopes.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados