Carlos III, que tem três queridos (pai, mãe e Camilla), expressou amor por Meghan e anunciou o que fará "no tempo que Deus" lhe der de vida

9 set, 19:20

Foram nove minutos de emoção no primeiro discurso ao reino enquanto rei: houve muitos agradecimentos e duas promessas maiores que todas as outras - manter a dedicação da mãe e os valores da nação. Harry e Meghan foram mencionados

“Durante toda a sua vida, a sua majestade, a rainha, a minha querida mãe, foi uma inspiração, um exemplo para mim e para toda a minha família.” O primeiro discurso oficial de Carlos III enquanto rei ficou marcado pela emoção, pelos agradecimentos a Isabel II e pelas promessas enquanto chefe de Estado: uma delas é a de manter o empenho que foi característico da sua mãe. “Presto homenagem à memória da minha mãe e honro a sua vida de serviço.”

Sentado, vestido de preto e com um retrato de Isabel II sorridente ao seu lado, Carlos III lembrou que a sua mãe prometeu “dedicar a sua vida, fosse ela curta ou longa, aos seus povos” e “isso foi mais do que uma promessa, foi um empenho pessoal profundo que definiu toda a sua vida”. “Ela fez sacrifícios pelo dever, a sua dedicação, a sua devoção nunca teve momentos de quebra”, afirmou o monarca, destacando que é esse o caminho que disse querer seguir: “É essa promessa de vida que eu renovo para vós hoje, aqui”.

“Na sua vida de serviço, nós vimos um amor grande pela tradição, juntamente com aquele abraço do progresso que nos faz uma nação grande. O afeto, a admiração e o respeito que ela inspirou tornaram-se o símbolo do seu reinado e, como todos os elementos da minha família podem testemunhar, ela combinava estas qualidades com o calor humano, o humor e uma capacidade sem falhas de ver sempre o melhor das pessoas”, recordou. “A rainha Isabel II teve uma vida bem vivida.”

“Como a própria rainha fez, com uma devoção sem paralelo, eu agora também solenemente me empenho, no tempo que Deus ainda me der, a manter os princípios constitucionais que estão no cerne da nossa nação. Onde quer que vivam, tudo farei para vos servir com lealdade, respeito e amor. Como fiz durante toda a minha vida até agora”, disse o agora rei.

No seu discurso, que durou cerca de nove minutos e no qual várias vezes fez questão de se direcionar para o Reino Unido e para os países que fazem parte do Commonwealth, Carlos III destacou a evolução da nação, mas deixou claro que os valores se mantiveram e que são para manter. 

“Quando a rainha chegou ao trono, a Grã-Bretanha e o mundo ainda estavam a lidar com as privações das sequelas da II Grande Guerra e ainda vivíamos de acordo com as convenções de um tempo mais antigo. No decurso dos últimos anos, vimos a nossa sociedade tornar-se multicultural e com muitas fés diferentes”, disse, destacando o facto de “as instituições do Estado” terem mudado, mas “os nossos valores permaneceram e devem permanecer constantes”. “Através de todas estas mudanças, de todos estes desafios” continuou, “a nossa nação e a família alargada prosperaram e floresceram”. “Sinto um enorme orgulho”, frisou.

“Fui educado para ter um sentimento de dever para com os outros e ter o maior dos respeitos pelas preciosas tradições, liberdades e responsabilidades da nossa história única e do nosso sistema de governo parlamentar.”

Sobre a família, o rei Carlos III destacou os novos títulos de William e Kate e deixou apenas uma breve mensagem a Harry e Meghan, que não viajou para o Reino Unido assim que se soube que o estado de saúde da rainha era preocupante. “Gostaria também de expressar o meu amor por Harry e Meghan, à medida que eles continuam a construir as suas vidas do outro lado do oceano.”

William foi mencionado como “o meu herdeiro” e agora detentor dos títulos “que tanto significaram” para Carlos enquanto príncipe, título que assumiu desde que nasceu. “Sinto um grande orgulho. Com a Catherine a seu lado, eu sei que continuarão a inspirar e a levar a cabo as nossas conversas nacionais, em que as ajudas preciosas podem ser dadas”, destacou .

A agora rainha Consorte Camilla também foi mencionada naquele que foi o primeiro discurso de Carlos enquanto rei, destacando a “ajuda preciosa” da sua “querida esposa Camilla”. “Eu sei que o seu novo papel trará exigências”, reconheceu, mas não hesitou em destacar “a devoção sem falhas ao dever” já mostrada por Camilla e na qual se tem “baseado tanto ao longo dos anos”.

O discurso de Carlos III terminou como começou: com elogios e agradecimentos à sua mãe. “À minha querida mamã, ao começar a sua última grande viagem para se juntar ao meu querido pai, eu quero apenas dizer isto: muito obrigado, muito obrigado pelo seu amor, pela sua dedicação à nossa família. Que os anjos a levem ao seu eterno descanso”.

O Rei Carlos III é coroado oficialmente este sábado. O anúncio da morte da rainha Isabel II foi feito no final da tarde desta quinta-feira.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados