"Muita coisa pode acontecer até lá". Príncipe Harry não se compromete com presença na coroação do pai

5 jan, 11:07
Príncipe Harry

Duque de Sussex voltou a abordar a relação tensa com a família real, a fuga de informação para a imprensa e a sua crença na monarquia. Livro de memórias "Na Sombra" é publicado no próximo dia 10

As polémicas em torno do novo livro do príncipe Harry sucedem-se. Depois do jornal The Guardian ter revelado que o duque de Sussex conta lá que foi agredido pelo irmão em 2019, agora, em entrevista ao jornalista britânico Tom Bradby, Harry afirma que William pode "dizer coisas completamente diferentes".

"O seu irmão não lhe diria: 'Harry, como me podes fazer isto depois de tudo? Depois de tudo o que passámos? Não seria isto que ele diria?", questiona o jornalista da ITV, na entrevista que será transmitida no próximo domingo.

É então que Harry responde: "Ele provavelmente diria coisas completamente diferentes".

Harry é ainda questionado sobre se a invasão da privacidade da família, quando apregoa que viu a sua privacidade ser atacada ao longo dos anos, não será mal vista pelo público. O duque diz que "permanecer em silêncio" não vai melhorar as coisas com sua família e volta a acusar a família real de oferecer histórias sobre ele e a mulher à imprensa.

“Essas seriam acusações de pessoas que não entendem – ou não querem acreditar – que a minha família tem informado a imprensa. Não sei como permanecer em silêncio vai melhorar as coisas.”

No excerto da entrevista divulgado esta quinta-feira, Harry é ainda questionado se, caso seja convidado, marcará presença na coroação do pai, que acontece no dia 6 de maio.

"Muita coisa pode acontecer até lá. Mas a porta está sempre aberta. A bola está do lado deles. Há muito para ser discutido e espero mesmo que eles estejam dispostos a sentar-se e a conversar".

Perante a contorvérsia que envolve a família real, de quem Harry e Meghan se afastaram em 2020, o jornalista britânico acaba mesmo por perguntar ao duque de Sussex se ainda acredita na monarquia. Harry responde que sim. 

No entanto, à pergunta se "ainda acredita que vai desempenhar um papel no futuro da monarquia", o duque não tem uma resposta tão certa.

"Não sei", responde.

No primeiro excerto da entrevista ao jornalista britânico Tom Bradby da ITV, o príncipe abordou a relação tensa com o pai e o irmão e disse mesmo que a família real não mostrou "absolutamente vontade nenhuma de se reconciliar" com ele e Meghan Markle.

“Gostaria de ter o meu pai e o meu irmão de volta. Eu quero uma família, não uma instituição", afirmou Harry a Tom Bradby, jornalista e amigo, acrescentando que o que aconteceu "não tinha de ser assim". 

O livro de memórias do príncipe Harry "Na Sombra" será lançado a 10 de janeiro. No final do ano passado, os duques de Sussex geraram polémica depois da exibição do documentário da Netflix, no qual Harry e Meghan contam como foram alvo de perseguição pela imprensa britânica, que invadia constantemente a privacidade da família, com a duquesa a ser alvo de racismo e discriminação. Depois da exibição dos seis episódios, Harry e Meghan foram alvo de críticas, acusados de criarem uma "narrativa distorcida" e de causarem "quebra de laços" com a família real. 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados