Papa em Fátima: "Maria fez-se presente aqui para que a incredulidade de tantos corações se abrisse a Jesus" (discurso na íntegra)

CNN Portugal , HCL
5 ago 2023, 11:19

O Papa Francisco regressou, a pedido dele, a Fátima. Quis rezar, pela paz e pelo fim da guerra na Ucrânia, com mais de uma centena de jovens com deficiência e reclusos. Foi ovacionado à chegada, abençoou várias crianças, rezou o terço e, no fim, num discurso de cerca de dez minutos, voltou a insistir que a Igreja é para "todos, todos, todos"

Perante cerca de duzentos mil peregrinos e fiéis, a mensagem do Papa Francisco no seu regresso a Fátima foi uma de inclusão, reforçando a ideia de que a Igreja abre-se para todos, todos, todos. Depois, olhou para a Capelinha das Aparições e viu nela um exemplo para a Igreja Católica, durante uma reflexão improvisada quase na sua totalidade. No final, propôs uma nova invocação mariana em Fátima: Nossa Senhora Apressada.

 

DISCURSO NA ÍNTEGRA

A vós todos, obrigado pela presença e pela oração!

Rezámos o terço, uma oração muito bela e vital porque nos coloca em contacto com a vida de Jesus e de Maria. Meditámos os Mistérios da Alegria, os Mistérios Gozosos que nos lembram que a Igreja não pode ser senão a casa da alegria. 

A pequena capela onde nos encontramos constitui uma bela imagem da igreja. Acolhedora e sem portas. A igreja não tem portas, para que todos possam entrar.

Temos de insistir para que todos possam entrar, porque é a casa da Mãe, que tem o coração aberto para todos os seus filhos. Todos. Todos. Todos. 

Estamos aqui, sob o olhar atento de Maria e a peregrinação é, precisamente, um traço mariano que liga os Mistérios que rezámos. Porque Maria, quando soube que a sua prima estava grávida, saiu correndo. É uma tradução um pouco livre, mas o Evangelho diz-nos: saiu "saiu apressadamente". Nós diríamos: "saiu a correr". Saiu a correr, na ânsia de ajudar, de estar presente. 

Diríamos: "saiu a correr". Ela saiu a correr com aquela ânsia de ajudar, de estar presente. 

Há tantos títulos de Maria, mas um - que também podemos dizer, pensando bem - é este: a Virgem que corre, sempre que há um problema, sempre que a invocamos, não se demora, vem, apressa-se: Nossa Senhora apressada. Gostam? Vamos dizê-lo todos juntos: Nossa Senhora apressada. Apressa-se para estar junto de nós, apressa-se porque é Mãe, apressada, em português chama-se apressada. Nossa Senhora Apressada. 

E assim ela acompanha a vida de Jesus e não se esconde depois da Ressurreição. Acompanha os discípulos à espera do Espírito Santo e acompanha a Igreja que começa a crescer depois do Pentecostes.

Nossa Senhora da Pressão e Nossa Senhora que Acompanha, acompanha sempre. Ela nunca é a protagonista. O gesto de acolhimento de Maria Mãe é duplo. Primeiro, acolhe e depois aponta para Jesus. Na sua vida, Maria não faz outra coisa senão apontar para Jesus: Fazei o que Ele vos disser. Segue Jesus. Estes são os dois gestos de Maria, pensemos bem: acolhe-nos a todos e aponta para Jesus. E isto é feito um pouco à pressa, à pressa, por Nossa Senhora à pressa, que nos acolhe a todos e aponta para Jesus. E cada vez que vimos aqui, lembramo-nos disto. Maria fez-se presente aqui de uma forma especial para que a incredulidade de tantos corações se abrisse a Jesus. Com a sua presença, ela aponta-nos para Jesus, aponta-nos sempre para Jesus, e hoje está aqui entre nós. Ela está sempre entre nós, mas agora sentimo-la muito mais perto. Maria apressada.

Amigos, Jesus ama-nos a tal ponto que se identifica connosco e pede-nos que colaboremos com ele, e Maria indica-nos o que Jesus nos pede: que caminhemos pela vida colaborando com ele.

Gostaria que olhássemos hoje para a imagem de Maria e que cada um de nós pensasse: o que é que Maria me está a dizer como Mãe, o que é que me está a apontar com o dedo? Ela aponta para Jesus, às vezes aponta também para alguma coisinha que não funciona bem no nosso coração, mas aponta sempre. Mãe, o que é que me está a apontar? Façamos um pequeno momento de silêncio e cada um de nós, no seu coração, diga: Mãe, o que é que me apontas? O que é que há na minha vida que te preocupa? O que é que há na minha vida que te comove? O que é que há na minha vida que te interessa? E tu, tu apontas para isso. 

E aí aponta-nos o coração para a vinda de Jesus. E assim como nos aponta para Jesus, aponta Jesus para o coração de cada um de nós. 

Queridos irmãos e irmãs, sintamos hoje a presença de Maria, nossa Mãe, a Mãe que sempre dirá: "Fazei o que Jesus vos disser". Ela aponta-nos para Jesus. Mas a Mãe que diz a Jesus: "Faz o que ele te pede". Essa é Maria, essa é a nossa Mãe, Nossa Senhora Apressada para estar perto de nós. Que ela nos abençoe a todos.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados