Presidente da Águas de Portugal renuncia ao cargo

9 mai, 17:52
Água (Tony Gutierrez/AP)

Gestor da empresa pública tinha colocado o lugar à disposição há quase um mês

O presidente da Águas de Portugal (AdP) está de saída. José Furtado comunicou esta quinta-feira o pedido formal de renúncia ao cargo de presidente da empresa, avança o ECO, citando fonte da companhia.

O gestor da empresa pública já tinha colocado o lugar à disposição há quase um mês, a 13 de abril, perante a nova ministra do Ambiente e da Energia, Maria da Graça Carvalho.

Em paralelo, a Águas de Portugal ganhou protagonismo por se ter oposto ao pagamento de dividendos extraordinários no valor de 100 milhões de euros ao Estado, e que foi realizado a 29 de dezembro, num montante que o então ministro das Finanças, Fernando Medina, utilizou para melhorar as contas públicas.

Entretanto a demissão foi confirmada pelo Governo, que emitiu um pequeno comunicado. “O presidente do Conselho de Administração do grupo AdP, dr. José Furtado, aquando do início de funções do Governo, solicitou uma reunião à ministra do Ambiente e Energia, Maria da Graça Carvalho, a qual se realizou a 12 de abril. Nessa reunião, o dr. José Furtado colocou o lugar à disposição”, pode ler-se.

Segundo o Ministério do Ambiente e Energia, José Furtado, que ocupava o cargo há quatro anos, demonstrou vontade de “abraçar novos desafios profissionais”.

Maria da Graça Carvalho aceitou o pedido e foi acordado que o processo de transição “seria feito dentro de um quadro de normalidade”.

Um dia depois, José Furtado enviou uma carta a formalizar o seu pedido de renuncia, refere a mesma nota.

O Ministério do Ambiente e Energia agradece a José Furtado, esperando poder continuar a contar “com o seu contributo noutras funções públicas”.

País

Mais País

Patrocinados