Tesouro do séc. XXI. Há um disco rígido com 8 mil bitcoins perdido numa lixeira - vale 180 milhões de euros

20 ago, 20:22
Lixeira em Newport, no País de Gales (Imagem Getty)

Infortúnio aconteceu a um engenheiro informático, em 2013. Passados nove anos, há um plano para recuperar o aparelho multimilionário

A história deste tesouro soterrado algures entre 110 mil toneladas de lixo começa em 2013, quando um engenheiro informático teve “o mais absurdo e triste dia da sua vida”.

James Howells, agora com 37 anos, está a tentar recuperar o disco rígido que, no seu interior, tem o equivalente a 180 milhões de euros em criptomoeda. Para isso, o engenheiro terá de encontrar o aparelho que tem o mesmo tamanho de um iPhone 6 e que ainda estará no aterro municipal da cidade de Newport, no País de Gales.

A história foi contada pelo próprio Howells, numa entrevista ao Business Insider, em que explicou que guardava um par de discos idênticos numa gaveta de casa. Um estava completamente vazio e o outro continha 8 mil bitcoins, que tinha adquirido através de operações domésticas de mineração, tendência que estava a ganhar popularidade naquela altura. E foi a partir daqui que tudo correu mal. James queria desfazer-se do aparelho vazio, mas terá cometido o maior engano da sua vida e o dispositivo que foi parar ao lixo valeria hoje 180 milhões de euros.

Em 2013, o próprio chegou a contar o seu infortúnio à BBC. 

No dia em que foi parar ao lixo valeria cerca de 100 mil euros e ao fim de uns meses perdido no meio daquilo que ninguém quer tinha atingido os 8,5 milhões de euros.

Passados nove anos de arrependimento e busca por soluções, James Howells pediu autorização às autoridades de Newport para arrancar com um plano de resgate por si delineado. A ideia do especialista em computação passa por uma triagem do lixo, com o auxílio de um braço de metal de grandes dimensões conectado a uma plataforma de inteligência artificial e análise de imagens.

Operação de resgate vai custar 10 milhões de euros

O plano de Howells acarreta um custo que rondará os 10 milhões de euros, sem contar com o investimento prévio em instrumentos tecnologicamente avançados e com os especialistas em dragagem industrial, gestão de resíduos e até um dos homens que resgatou a caixa negra do vaivém espacial Columbia, que se desintegrou durante a aterragem, em fevereiro de 2003.

Caso o disco seja encontrado, está prometida uma quantia fixa para todos estes elementos e um décimo dos 180 milhões de euros será doado para projetos sociais relacionados com criptomoeda em Newport.

James acredita que encontrar o disco rígido não é uma utopia. 

“No cenário mais pessimista, levaria cerca de três anos para filtrar completamente o lixo, mas as simulações de computador que eu mesmo realizei sugerem que poderíamos terminar a tarefa em cerca de 18 meses”, perspetivou, acrescentando que isso “reduziria os custos totais para pouco mais de seis milhões”.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados