Trabalhou no McDonald's, vendeu a casa para comprar bitcoin e agora é um dos mais ricos do mundo

CNN , Michelle Toh
22 jan, 15:00
Changpeng Zhao. Foto: Wei Leng Tay/Bloomberg Getty Images

Changpeng Zhao, CEO da Binance, torna-se um dos bilionários mais ricos do mundo. E promete doar grande parte do seu dinheiro

O CEO de uma criptomoeda tornou-se uma das pessoas mais ricas da Terra.

Changpeng "CZ" Zhao, que dirige a bolsa de moedas digitais Binance, juntou-se à lista dos maiores multimilionários do mundo, com um património estimado de pelo menos 96 mil milhões de dólares, segundo os novos cálculos do Índice de Multimilionários da Bloomberg.

A fortuna calculada de Zhao rivaliza agora com a do fundador da Oracle (ORCL), Larry Ellison, e ultrapassa a de Mukesh Ambani, o magnata indiano cuja fortuna também subiu a pique nos dois últimos anos.

A ascensão do empreendedor sino-canadiano é simbólica da criação rápida de riqueza no mundo acelerado das moedas digitais.

No ano passado, outros fundadores de criptomoedas tiveram também enormes ganhos com o valor das moedas digitais a subir. Tanto o criador da Ethereum, Vitalik Buterin, como o fundador da Coinbase, Brian Armstrong, tornaram-se multimilionários.

Sam Bankman-Fried, CEO da FTX, outra bolsa de moedas digitais apoiada pela Binance, apontou na terça-feira para “um valor de criação de riqueza sem precedentes que ocorreu na indústria nos últimos anos”.

“Acho que há muitas pessoas a tentar perceber o que podem fazer com isto”, disse Friedman, também ele um jovem multimilionário, durante uma discussão virtual no Fórum Financeiro Asiático, em Hong Kong.

Numa publicação no Twitter, Zhao também pareceu ter reconhecido a distinção. "Não se preocupem com os rankings. Concentrem-se no número de pessoas que podem ajudar”, escreveu ele.

Zhao deu seguimento com outra publicação, em que disse: “Uma opinião impopular: em vez de rankings de riqueza, devia haver um ranking para os esforços de beneficência e filantropia.”

Um porta-voz da Binance disse à CNN Business que "CZ pretende dar a maior parte da sua riqueza, chegando aos 99% da sua riqueza, tal como outros empreendedores e fundadores."

Nos últimos anos, outros líderes famosos dos negócios, como o CEO da Facebook, Mark Zuckerberg, assinaram o “Giving Pledge” ou Compromisso da Dádiva, uma iniciativa começada por Warren Buffett e por Bill e Melinda Gates para incentivar os mais ricos do mundo a doarem o grosso das suas fortunas para obras sociais.

Zhao lançou a Binance em 2017, e fê-la crescer até vir a ser uma das maiores bolsas de criptomoedas do mundo.

Segundo uma publicação no blogue da empresa, o executivo cresceu numa família de imigrantes no Canadá e trabalhou anteriormente no McDonald's para ajudar a sustentar a família.

Depois de estudar Ciência Informática na Universidade McGill, ele trabalhou com software de trading para a Bolsa de Valores de Tóquio e para a Bloomberg.

“Em 2013, ele descobriu a Bitcoin durante um jogo de póquer, e decidiu dedicar a sua vida inteiramente às criptomoedas”, segundo a Binance. “Ele chegou mesmo a vender o apartamento para comprar Bitcoin.”

Tal como outras bolsas, nos últimos meses, a Binance enfrentou diversas dificuldades regulatórias em todo o mundo, incluindo uma proibição no Reino Unido e outras restrições em países como o Canadá.

Zhao comentou publicamente os problemas, e escreveu uma carta aberta no ano passado onde dizia que “as regras claras são cruciais para um crescimento contínuo”.

“Haver mais regras é, na verdade, um sinal positivo de que uma indústria está a amadurecer”, acrescentou ele. “Pois isso constitui uma base para uma população mais alargada se sentir segura para participar nas criptomoedas.”

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados