Surpresa na Copa América: Brasil fica-se pelo nulo com a Costa Rica

25 jun, 08:41
Vinícius Júnior e Haxzel Quirós no Brasil-Costa Rica, da Copa América (CAROLINE BREHMAN/EPA)

Jogo da primeira jornada do grupo D. Wendell, Pepê e Evanilson ficaram no banco

O Brasil ficou-se pelo empate sem golos frente à Costa Rica, na madrugada desta terça-feira (noite de segunda-feira nos Estados Unidos), em jogo da primeira jornada da Grupo D da Copa América, disputado no SoFi Stadium, em Inglewood, Califórnia.

Na estreia do selecionador Dorival Júnior em jogos de fases finais ao comando do Brasil, a seleção brasileira somou o quinto jogo seguido sem ganhar em embates oficiais, depois de quatro nas eliminatórias do Mundial2026.

O jogo foi de sentido único, rumo à baliza da Costa Rica, equipa que não conseguiu efetuar um único remate nos 90 minutos. Porém, o Brasil mostrou que continua em crise, de resultados e também de identidade.

Apesar da fraca exibição, o Brasil teve várias ocasiões claras para marcar, mas mostrou alguma falta de inspiração e confiança. Mérito também para o esquema defensivo montado pelo argentino Gustavo Alfaro e, em última instância, pelo guarda-redes Patrick Sequeira.

Com os portistas Wendell, Pepê e Evanilson no banco, de onde não saíram, o Brasil entrou a dominar e cedo criou duas ocasiões, em remates de Raphinha (7m) e Rodrygo (12m). O perigo voltou aos 25 minutos, quando o guarda-redes Patrick Sequeira defendeu novo remate de Raphinha, isolado por Rodrygo. Até ao intervalo, o Brasil teve ainda um golo anulado a Marquinhos, num fora-de-jogo milimétrico.

No início da segunda parte, Rodrygo voltou a ter ocasiões aos 47 e 60 minutos, mas não as soube aproveitar e, aos 63, o golo esteve ainda mais perto, num remate de Paquetá ao poste esquerdo.

Pouco depois, começaram as substituições (Savinho, Endrick e Martinelli renderam, respetivamente, Raphinha, Vinícius e João Gomes aos 70, 71 e 83m) e, até final, a melhor ocasião do Brasil foi um cabeceamento para a própria baliza de Haxzel Quirós, aos 72 minutos, que Sequeira defendeu a custo. Arana (79m), Rodrygo (87m), Bruno Guimarães com um remate a rasar o poste esquerdo (90+1m) e Paquetá (90+3m), desperdiçaram as últimas boas oportunidades do Brasil.

As duas seleções passam a somar um ponto e, na segunda jornada, o Brasil vai defrontar o Paraguai, que se estreou com um desaire por 2-1 com a Colômbia, próxima adversária da Costa Rica.

Relacionados

Brasil

Mais Brasil

Mais Lidas

Patrocinados