Perca a barriga fazendo exercício físico (apenas) ao fim de semana

CNN , Sandee LaMotte
24 fev, 09:00
Fazer os 150 minutos de atividade recomendada em dois dias pode compensar a perda de peso, especialmente na barriga. Martin Novak/Moment RF/Getty Images

Estudo publicado na revista Obesity analisou a gordura corporal em mais de 9.600 pessoas com idades entre 20 e 59 anos, recorrendo a um exame específico para medir os níveis globais de gordura e de gordura da barriga, que é considerada o tipo de gordura mais perigoso para a saúde em geral

Não consegue fazer exercício durante a semana? Não faz mal, de acordo com um novo estudo, porque compensar as recomendações de exercício semanal em dois dias, como o fim de semana - ou aquilo a que muitos chamam ser um "guerreiro de fim de semana" - também vai eliminar gordura.

Tanto a Organização Mundial de Saúde como as diretrizes de exercício dos Estados Unidos para adultos exigem pelo menos 150 minutos por semana de atividade física moderada, 75 minutos por semana de atividade física vigorosa ou uma combinação de ambas, juntamente com algum treino de força e flexibilidade.

"Vale a pena promover o padrão de 'guerreiro de fim de semana' em indivíduos que não conseguem cumprir a frequência recomendada nas diretrizes actuais", afirmou o autor Lihua Zhang, investigador de cuidados de saúde do Centro Nacional de Doenças Cardiovasculares, da Academia Chinesa de Ciências Médicas (Peking Union Medical College), em Pequim.

"Os nossos resultados indicaram que não havia diferença entre o padrão de 'guerreiro de fim de semana' e o padrão regularmente ativo na adiposidade (gordura) abdominal e geral", disse Zhang.

No entanto, havia uma ressalva. O treino médio do guerreiro de fim de semana foi de maior intensidade e duração do que os treinos dos dias de semana das pessoas no estudo, indicou Zhang. Na verdade, os guerreiros de fim de semana do estudo passaram 147,6 minutos - quase toda a recomendação para uma semana - em cada sessão de exercício durante o período de dois dias. Isso pode "explicar parcialmente os resultados, embora precise de mais investigação", admitiu Zhang.

As pessoas que conseguem fazer exercício durante mais de duas horas seguidas podem ser um subtipo de guerreiros de fim de semana que têm "um tipo diferente de fisiologia do exercício, em que conseguem realmente fazer exercício durante muito tempo", observou Andrew Freeman, diretor de prevenção cardiovascular e bem-estar na National Jewish Health em Denver, Colorado, nos Estados Unidos.

"Já tentou correr ou andar de bicicleta intensamente durante mais de uma hora?", perguntou Freeman, que não esteve envolvido no estudo. "É preciso um treino sério para lá chegar. Por isso, os guerreiros de fim de semana deste estudo podem ser pessoas que já estão em excelente forma e talvez seja apenas essa a forma como treinam."

Exame objetivo do corpo

O estudo, publicado na revista Obesity, analisou a gordura corporal em mais de 9.600 pessoas com idades entre 20 e 59 anos que faziam parte do National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES), um estudo federal de longa duração que avalia a saúde e o estado nutricional de adultos e crianças nos Estados Unidos.

O estudo utilizou uma ferramenta objetiva designada por absorciometria de raios X de dupla energia, ou exame DXA, para medir os níveis globais de gordura e de gordura da barriga, que é considerada o tipo de gordura mais perigoso para a saúde em geral.

Ao contrário das medições do índice de massa corporal (IMC), que são uma estimativa grosseira da gordura corporal de uma pessoa com base na altura e no peso, os exames DXA fornecem uma análise muito mais exata e aprofundada da densidade óssea, do tecido adiposo e da massa magra, que é tudo o que existe no corpo, exceto a gordura.

"Tanto quanto sabemos, este é o primeiro estudo a examinar as associações entre os padrões de atividade física e a massa de tecido adiposo (gordura) medida por DXA", apontou Zhang.

No estudo, tanto os 772 guerreiros de fim de semana como os 3.277 praticantes regulares de exercício físico apresentavam menor gordura na barriga medida por DXA, menor perímetro da cintura, menor massa gorda em todo o corpo e menor IMC, em comparação com as 5.580 pessoas que afirmaram não praticar exercício físico regular.

A perseverança valeu a pena quando se tratou da gordura da barriga, segundo o estudo. Os guerreiros de fim de semana que se exercitaram mais e durante mais tempo tinham "ainda menos gordura abdominal", disse Beverly Tchang, professora assistente de medicina clínica no Comprehensive Weight Control Center, Weill Cornell Medicine, em Nova Iorque.

"A um nível elevado, este estudo reafirma o velho ditado sobre a atividade física e a saúde: qualquer atividade é melhor do que nenhuma atividade", lembrou Tchang, que não esteve envolvida na investigação. "A principal conclusão, no entanto, é que as pessoas devem ser ativas de qualquer forma que se adapte ao seu estilo de vida."

Relacionados

Vida Saudável

Mais Vida Saudável

Patrocinados