Reino Unido: Rishi Sunak e Boris Johnson não chegam a acordo na corrida à liderança dos Conservadores

23 out, 10:23
Boris Johnson e Rishi Sunak (AP)

Braço-de-ferro entre Johnson e Sunak está a provocar uma divisão forte nos Tories

Rishi Sunak e Boris Johnson não conseguiram chegar a acordo durante a reunião de sábado à noite, numa tentativa de estabelecer um consenso entre os dois potenciais principais candidatos à sucessão a Liz Truss. A informação foi avançada pelo editor do jornal “The Times”, Steven Swinford.

De acordo com Swinford, Johnson afirmou aos seus apoiantes que é o único potencial candidato “com o mandato legitimado democraticamente”. O jornalista do The Times avança também que o ex-primeiro-ministro irá falar com Sunak e Penny Mordaunt, até agora única candidata declarada à liderança do Partido Conservador, ainda este domingo.

Rishi Sunak foi ministro das Finanças de Boris Johnson, tendo a sua demissão precipitado a queda do governo do antigo presidente da câmara de Londres. Depois, foi a vez de Sunak concorrer à liderança dos Tories contra Liz Truss. Durante a campanha, alertou para as potenciais consequências do choque fiscal que a primeira-ministra demissionária prometeu e acabou por implementar, o que levou à desvalorização da libra e obrigou o Banco de Inglaterra a injetar 60 mil milhões de libras para manter a economia britânica estável. Truss acabou por apresentar a demissão após apenas 45 dias no poder, o mandato mais curto da história do país, precisamente devido às consequências daquilo que definiu como "mini-orçamento".

Após a renúncia de Truss, surgiram quase de imediato rumores na imprensa britânica de que Boris Johnson pretendia voltar à liderança dos Conservadores, intenção praticamente confirmada este sábado, dia em que o ex-primeiro-ministro interrompeu as suas férias na República Dominicana para regressar à capital britânica, para começar a reunir apoios e preparar a curta campanha interna

O braço-de-ferro entre Johnson e Sunak está a provocar uma divisão forte nos Conservadores. O ministro do Comércio, Kemi Badenoch, e o antigo ministro para o Brexit, David Davis, já declararam o seu apoio a Sunak, enquanto a ex-ministra da Administração Interna, Priti Patel, e o sucessor de Sunak na pasta das Finanças, Nadhim Zahawi, já confirmaram o apoio ao antigo líder.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados