João Rendeiro partilha cela com moçambicanos de delito comum

20 dez 2021, 10:17

Antigo banqueiro tem direito a uma refeição completa por dia e mantém contacto regular com a advogada

PUB

João Rendeiro encontra-se detido numa cela com prisioneiros de nacionalidade moçambicana que foram condenados por crimes de delito comum. Ao que a CNN Portugal apurou, o antigo presidente do Banco Privado Português (BPP) passa a maior parte do tempo na cela da prisão de Westville, na cidade sul-africana de Durban.

As autoridades sul-africanas estão particularmente atentas ao português, que se queixou de ter sido ameaçado por alguns reclusos, depois de estes saberem que teria muito dinheiro.

PUB

Em conversa com a CNN Portugal, a advogada do português diz que o seu cliente "aparenta estar bem". June Marks diz que fala com João Rendeiro quase todos os dias.

Na prisão, onde vai ficar pelo menos até 10 de janeiro, João Rendeiro tem mantido contacto regular com a advogada e tem direito a uma refeição completa por dia.

A defesa já disse que vai apresentar recurso da decisão de prisão preventiva, mas June Marks revelou que ainda não deram entrada ao processo, algo que deve acontecer nos próximos dias, até porque o prazo termina a 31 de dezembro.

PUB
PUB
PUB

O Tribunal de Verulam recusou o pedido de caução de João Rendeiro, que ficará na prisão de Westville, de forma preventiva, até 10 de janeiro de 2022, altura em que se iniciará o processo de extradição.

O antigo presidente do BPP foi condenado pela Justiça portuguesa em três processos distintos relacionados com o colapso do banco, um deles já transitado em julgado, tendo o tribunal dado como provado que retirou daquela instituição 13,61 milhões de euros.

O colapso do BPP em 2010 lesou milhares de clientes e causou perdas de centenas de milhões de euros ao Estado.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados