Ómicron em queda na África do Sul. Especialistas dizem que o pico pode já ter passado

23 dez 2021, 10:10
Covid-19 (Pexels)
Covid-19 (Pexels)

O número de novos casos diários desceu de 27 mil para 15 mil e as hospitalizações desceram de 20 para cinco. Os especialistas estão otimistas, mas ressalvam que ainda é cedo para tirar conclusões

PUB

Nos últimos dias, tem-se verificado uma queda do número de novos casos infetados com a Ómicron na África do Sul. De acordo com especialistas locais, isso pode indicar que o pico desta variante já passou. 

Depois de ter registado perto de 27 mil casos de infeção na quinta-feira, esse número caiu para 15.424 na terça-feira. Em Gauteng (a maior província do país), Joanesburgo e Pretória os novos casos já tinham começado a descer e têm mantido essa trajetória. 

PUB

"A queda de novos casos a nível nacional, a juntar à queda de casos registada em Gauteng, que nas últimas semanas tem sido o epicentro desta onda, indica que já ultrapassámos o pico", disse à Associated Press Marta Nunes, a investigadora portuguesa do Departamento de Análise de Vacinas e Doenças Infecciosas da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, na África do Sul. 

A 12 de dezembro, em Gauteng, foram atingidas 16 mil infeções. Na terça-feira, já só foram registados pouco mais de 3.300 novos casos.

A especialista explica ainda que a "onda foi pequena e não muito grave", uma vez que não representou um número muito elevado de hospitalizações ou mortes: "Na epidemiologia, não é surpreendente que um aumento muito acentuado [de casos], como aquele que se verificou em novembro, seja seguido de uma queda acentuada". 

PUB
PUB
PUB

Uma visão que é partilhada por Fareed Abdullah, médico no Hospital Universitário de Steve Biko, em Pretória, que considera que o decréscimo de casos a que se tem assistido "é muito significativo".

"O aumento rápido de novos casos foi seguido de uma queda igualmente rápida e parece que estamos a assistir ao início do enfraquecimento desta onda", explicou. 

Outro pormenor interessante é que, se antes estavam a dar entrada nos hospitais cerca de 20 casos positivos, esse número desceu agora para cerca de cinco. No entanto, os especialistas ressalvam que ainda é cedo para tirar conclusões e que existem vários fatores que precisam de ser acompanhados de perto. 

A existência da variante Ómicron foi anunciada a 24 de novembro. Significativamente mais transmissível, esta variante rapidamente se tornou predominante na África do Sul. Estima-se que 90% dos casos de covid-19 na província de Gauteng desde meados de novembro foram Ómicron. 

Também já se tornou dominantes em vários países, tendo ultrapassado os números da Delta. Nos Estados Unidos, a Ómicron foi responsável por 73% dos novos casos da semana passada. Já no Reino Unido, o aumento foi de 60% no espaço de sete dias. 

PUB
PUB
PUB

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esta nova variante foi detetada em pelo menos 89 países

Os olhos do mundo estão postos na África do Sul por ter sido lá que foi detetada a Ómicron. Por isso, os países estão atentos a todos os sinais para tentarem antever o que se vai passar a seguir. 

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados