Complemento Solidário para Idosos sobe em junho para 600 euros e rendimento dos filhos deixa de ser fator de exclusão

Agência Lusa , PF
9 mai, 14:21
O primeiro-ministro, Luis Montenegro (LUSA/José Sena Goulão)

O primeiro-ministro reiterou que o Governo mantém o objetivo de que o valor de referência do CSI atinja os 820 euros na legislatura, mas admite antecipá-lo

O primeiro-ministro anunciou esta quinta-feira que o Governo vai aumentar, a partir de junho, o valor de referência do Complemento Solidário para Idosos (CSI) em 50 euros e eliminar os rendimentos dos filhos como critério de fator de exclusão.

Ou seja, a partir de junho o valor de referência dessa prestação passará de 550 para 600 euros e apenas serão contabilizados os valores de pensionistas e reformados que se candidatem à sua atribuição.

Luís Montenegro falava na conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros, em que esteve ladeado pela ministra da Saúde, Ana Paula Martins, da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Maria do Rosário Palma Ramalho.

O primeiro-ministro reiterou que o Governo mantém o objetivo de que o valor de referência do CSI atinja os 820 euros na legislatura, mas admite antecipá-lo.

“Iremos fazer tudo para antecipar o alcançar desse objetivo", disse.

Governo

Mais Governo

Patrocinados