HEXA-X-II. O 5G ainda não chegou a todo o lado, mas a Europa já prepara o 6G

Agência Lusa , DCT
12 out 2022, 14:10
Nokia (Vesa Moilanen/Lehtikuva via AP)

Nokia lidera segunda fase do projeto europeu

A fabricante de telecomunicações Nokia irá liderar a segunda fase do projeto europeu Hexa-X, lançado em 2020 para impulsionar a liderança europeia no desenvolvimento da tecnologia móvel de sexta geração (6G), de acordo com a empresa.

Esta nova fase, denominada Heza-X-II e financiada novamente pela Comissão Europeia, tem como objetivo a criação de uma plataforma pré-padronizada que sirva de base para o futuro 'standard' da tecnologia 6G.

O anúncio foi feito na semana passada e acontece numa altura em que decorre o desenvolvimento do 5G no mundo.

Além da Nokia, que também foi responsável pela coordenação da primeira fase do projeto, participam nesta iniciativa 43 empresas europeias líderes em tecnologia, telecomunicações, universidades e centros de investigação.

Entre elas estão a sueca Ericsson, a alemã Siemens, a Telefónia e Orange e as universidades Carlos III de Madrid (Espanha), Aalto University (Finlândia) e as polítécnicas de Pisa e Torino (Itália).

"Este é o próximo passo significativo para reunir os principais atores desta indústria na Europa. O objetivo do Hexa-X e Hexa-X-II é tornar a Europa em líder do 6G", sublinhou a Nokia, num comunicado na semana passada.

A segunda fase do projeto será centrada no desenvolvimento da inovação em rádio, nos futuros dispositivos e infraestrutura flexível, a gestão de redes inteligentes e o próprio ecossistema.

"Na Era 6G, os mundos digital, físico e humano estarão muito mais integrados. Os nossos objetivos devem refletir este nível de integração e interdependência. É essencial que tenhamos em conta o contexto mais amplo ao vislumbrar a nova rede", considerou Peter Vetter, chefe de investigação da Nokia Bell Labs, citado em comunicado.

De acordo com o responsável, a importância das redes de telecomunicações e do 6G só aumentará à medida que milhares de milhões de pessoas e dispositivos estiverem conectados, os centros urbanos continuarem a crescer e houver maior escassez de energia e matérias-primas.

A sustentabilidade, a inclusão social e a confiabilidade serão, segundo a Nokia, os três principais desafios do projeto HExa-X-II.

Por isso, o consórcio vai concentrar os seus esforços no desenvolvimento de tecnologias que contribuam para eliminar as emissões de carbono e reduzam o máximo possível o consumo de energia e materiais.

Paralelamente, procurará oferecer conectividade aos países em vias de desenvolvimento e às pessoas menos favorecidas em nações desenvolvidas e procurará garantir a segurança e a privacidade dos dados.

Prevê-se que esta segunda fase do projeto 6G arranque em 01 de janeiro do próximo ano e tenha a duração de dois anos e meio.

Tecnologia

Mais Tecnologia

Patrocinados