Doentes sem razões clínicas não vão ser atendidos nas urgências do Santa Maria

CNN Portugal , SM (notícia atualizada)
6 out, 13:52

O diretor do Serviço de Urgência Central do Hospital de Santa Maria, João Gouveia, pede que "só venham às urgências os doentes que necessitem de cuidados urgentes e emergentes"

Numa conferência de imprensa realizada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, esta sexta-feira, o diretor do Serviço de Urgência Central, João Gouveia, informou que apenas os doentes que necessitam de "apoio mais diferenciado, doentes urgentes" serão atendidos naquela unidade, apelando aos demais para que não se desloquem ao maior hospital do país. 

O objetivo é conseguir garantir assistência "aos que necessitam do Hospital de Santa Maria", explicou o profissional de saúde, acrescentando que "todos os doentes de outras áreas, que não venham referenciados de outros hospitais ou pelo CODU, não vão ser atendidos". 

Segundo João Gouveia, neste momento, o serviço de urgência do Santa Maria "está sob uma grande afluência de doentes", dificultando significativamente a capacidade de escoamento dos mesmos. 

Só na segunda-feira foram recebidos mais de 700 doentes, sendo mais de 300 de fora da área. "É impossível o hospital responder sozinho a este problema", alertou o diretor do serviço. 

"Estejam descansados, porque estamos cá para cumprir o nosso trabalho, mas precisamos que a afluência seja regulada", sublinhou.

Mais de dois mil médicos já fizeram chegar às administrações hospitalares as declarações em que atestam a recusa em exceder as 150 horas extraordinárias anuais. O caos instalou-se no Serviço Nacional de Saúde com praticamente todos os hospitais em dificuldades para ter clínicos nas escalas de urgência.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados