PGR confirma suspeitas de fuga de informação para o FC Porto 

17 jun, 18:14

A Procuradoria-geral da República confirma oficialmente a suspeita de uma fuga de informação policial para favorecer a anterior direção do FC Porto, com o aviso prévio de buscas ao clube e à casa do então presidente Pinto da Costa, em 22 de novembro de 2021, e eventual concertação com os dirigentes portistas da data da operação – um caso revelado pela CNN Portugal esta segunda-feira. 

Segundo a PGR, em nota enviada ao final da tarde à CNN Portugal, “a alegada fuga de informação sobre a data da realização das diligências é objeto de investigação no próprio inquérito onde foi determinada a realização das buscas”. Trata-se do processo conhecido por cartão azul, onde se investigam suspeitas de desvio de verbas de transferências de jogadores e de uma comissão milionária sobre direitos de transmissão televisivos dos jogos do FC Porto. 

O caso está assim a ser investigado pelo Ministério Público, na sequência de uma escuta do processo Influencer agora divulgada pela CNN Portugal. Em novembro de 2021, um telefonema entre o então ministro do Ambiente, Matos Fernandes, e o pai, revelou uma alegada promiscuidade entre o FC Porto e a polícia – que terá permitido à direção de Pinto da Costa negociar a data de umas buscas à SAD para não prejudicar o ambiente de um jogo com o Liverpool.

O ministro ligou ao pai, José Manuel Matos Fernandes, ex-presidente da assembleia geral do FC Porto, e perguntou-lhe se viu “as notícias” sobre o clube, “de estar a ser investigado”. O pai disse-lhe que sim, que quando esteve num jogo dos dragões frente ao Feirense deu conta disso a Adelino Caldeira (dirigente) e a Pinto da Costa (presidente) e “eles já sabiam que era hoje (operação de buscas à SAD do clube)”. 

José Manuel disse ao filho, ministro, que “eles até tinham pedido que fosse hoje para não ser no dia do jogo; e a polícia disse que então era na segunda ou na sexta”. 
Em causa, a PSP e a Autoridade Tributária, que por instrução do Ministério Público estiveram a 22 de novembro de 2021 na SAD dos dragões e em casa de Pinto da Costa, a fazer buscas relacionadas com comissões de transferências de jogadores e de um negócio com a Altice de direitos de transmissão televisivos.  

Na nota da PGR, é referido que a “investigação no referido inquérito está a cargo da Autoridade Tributária, Direção de Finanças de Braga, tendo as diligências de busca contado com a colaboração da PSP para aqueles atos em concreto. O agendamento das diligências foi feito exclusivamente com base nos interesses da investigação. A alegada fuga de informação sobre a data da realização das diligências é objeto de investigação no próprio inquérito onde foi determinada a realização das buscas”.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados