Pode ter de praticar mais exercício (do que o recomendado) para uma vida mais longa, diz estudo

CNN , Madeline Holcombe
19 ago, 08:00
Praticar mais exercício do que as quantidades recomendadas para uma vida mais longa, diz estudo (CNN Internacional)

Uma vida mais longa pode significar ter de aumentar a periodicidade recomendada de exercício semanal, segundo um novo estudo.

Os adultos devem ter 150 a 300 minutos de atividade física moderada ou 75 a 150 minutos de atividade física vigorosa por semana, segundo a Organização Mundial da Saúde. Mas as pessoas que ultrapassam esses níveis vivem mais tempo do que aquelas que não o fazem.

Investigadores analisaram mais de 116.000 adultos num estudo publicado na revista Circulation, da American Heart Association. Os participantes reportaram a sua atividade em tempo de lazer em questionários, várias vezes, ao longo de 30 anos, e os investigadores fizeram uma estimativa da associação entre o tempo e a intensidade de exercício e as taxas de mortalidade.

A maior redução na mortalidade precoce revelou-se em pessoas que reportaram 150 a 300 minutos por semana de atividade física vigorosa ou 300 a 600 minutos de atividade física moderada - ou uma mistura equivalente dos dois, disse o autor do estudo Dong Hoon Lee, investigador associado do departamento de nutrição da Harvard T.H. Chan School of Public Health.

"É também importante notar que não encontramos nenhuma associação prejudicial entre indivíduos que reportaram (mais de quatro vezes) os níveis mínimos recomendados de atividade física moderada e vigorosa de tempo de lazer a longo prazo", acrescentou.

Exemplos de atividade moderada incluem uma caminhada em passo enérgico, aparar a relva ou jogar ténis em pares, enquanto a atividade vigorosa inclui coisas como montanhismo, corrida ou jogar futebol, segundo a Harvard T.H. Chan School of Public Health.

Os resultados do estudo confirmam as atuais diretrizes de atividade física da OMS, mas também preconizam níveis mais altos para se obter ainda mais benefícios numa vida mais longa, disse Lee.

Como acrescentar mais movimento

Pode estar a pensar: "Dez horas por semana de atividade moderada parece-me muito. Não há como conciliar isso com todas as minhas outras responsabilidades."

E sim, pode ser preciso alguma intencionalidade e esforço. Mas os estudos também mostraram as melhores formas de transformar o exercício em rotinas para que se mantenham.

Um megaestudo publicado em dezembro mostrou que os melhores programas de exercício incluem planeamento quando se treina, receber lembretes, oferecer incentivos e desencorajar mais do que uma falta a um treino planeado.

"Se as pessoas esperam aumentar a sua atividade física ou mudar os seus comportamentos de saúde, existem estratégias comportamentais de baixo custo que podem ser integradas em programas para ajudar a conseguir maior sucesso", disse a autora principal do estudo, Katy Milkman, professora da James D. Dinan na Wharton School da Universidade da Pensilvânia e autora de "How to Change: The Science of Getting from Where You Are to Where You Want to Be”.

E não é preciso acrescentar tudo de uma vez. Uns meros 11 minutos de exercício por dia fizeram a diferença no tempo de vida, de acordo com um estudo de 2021.

Pode fazer uma caminhada rápida ao ar livre ou na passadeira, fazer quatro conjuntos de uma sequência de exercícios de peso corporal de três minutos, praticar uma sequência de ioga ou escolher três canções animadas para dançar, disse a colaboradora de fitness da CNN, Dana Santas, especialista certificada em Força e Condicionamento e treinadora de corpo e mente em modalidades desportivas profissionais.

Relacionados

Vida Saudável

Mais Vida Saudável

Patrocinados