Hospital Amadora-Sintra alvo de chamadas fraudulentas em nome da Microsoft

6 mai, 09:00
Microsoft (GettyImages)

Têm o indicativo +44, que pertence ao Reino Unido, e pedem dados para aceder remotamente aos computadores. PGR só tinha recebido até à data denúncias de pessoas singulares

As tentativas de ataques informáticos não têm dado descanso às unidades hospitalares, principalmente as que trabalham para o Serviço Nacional de Saúde (SNS). A CNN Portugal teve acesso a um e-mail enviado aos colaboradores e profissionais de saúde do Hospital Fernando Fonseca (HFF), conhecido por Amadora-Sintra, que alerta para chamadas falsas.

Nesse e-mail, que partiu do departamento informático, é explicado que as chamadas tinham o indicativo +44, que pertence ao Reino Unido, e que a pessoa que estava do outro lado da linha dizia pertencer à empresa Microsoft e, por essa razão, pedia algumas informações para poder entrar remotamente nos computadores. A CNN Portugal sabe que o objetivo final era aceder às contas do Office.

A CNN Portugal questionou a Microsoft Portugal no sentido de perceber se já tinha sido informada da existência destas chamadas falsas e, caso a resposta fosse afirmativa, se tinha apresentado alguma denúncia junto do Ministério Público ou da Polícia Judiciária, mas a empresa informou apenas que "não envia mensagens de e-mail nem realiza chamadas telefónicas não solicitadas para pedir informações pessoais ou financeiras". "A Microsoft não fornece também qualquer suporte técnico telefónico para reparação de dispositivos. Qualquer comunicação com a Microsoft tem de ser iniciada pelos utilizadores", esclareceu ainda. 

Também foram pedidos esclarecimentos ao Hospital Amadora-Sintra, mas até à publicação deste artigo não foi obtida resposta.

PGR já tinha conhecimento da prática

Num esclarecimento feito à CNN Portugal, a Procuradoria-Geral da República (PGR) explicou que as falsas chamadas em nome da  Microsoft são uma prática "que se expandiu durante o ano de 2021". 

De acordo com a PGR, o objetivo destes contactos é aceder de forma ilegítima a contas de correio eletrónico. Como? Tentando convencer as vítimas "de que os respetivos equipamentos informáticos estão infetados com vírus", persuadindo-as a "facultar-lhes acesso remoto aos mesmos, ou a instalar neles malware, ou ainda a fazer-lhes pagamentos". 

"O processo criminoso passa por chamadas telefónicas fraudulentas em que, de forma astuciosa e enganosa, são abordados utilizadores da Internet, alegadamente pelo 'apoio técnico' da Microsoft. A vítima é informada de que existe um problema técnico com o seu computador: em geral, refere-se que o computador está infetado com um vírus, ou foi atacado por hackers. Depois, informam que têm resolução para o problema." 

Em 2021, o Ministério Público recebeu 28 denúncias deste tipo, com particular incidência nos meses de outubro a dezembro, mas todas de pessoas singulares, ou seja, não foi reportada "qualquer ligação a instituições ou setores de atividade".

Os hospitais têm sido alvo de tentativas de ataques informáticos, como aconteceu recentemente no Garcia de Orta, em Almada, que ainda se encontra em situação de contingência.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados