Vitamina D - novo estudo refuta teoria com décadas (leia, é importante)

CNN Portugal , DCT
6 ago, 14:00
Suplementos alimentares (Pexels)

Mesmo assim, há pessoas que continuam a beneficiar da toma de suplementos de vitamina D

Das várias funções que a vitamina D pode ter para a saúde - como o reforço do sistema imunitário e a prevenção de doenças como a diabetes tipo 2 e a obesidade -, há uma que se assumiu durante anos a fio como verdade absoluta: o poder desta hormona lipossolúvel na saúde dos ossos pelo seu papel na absorção do cálcio. A vitamina D é, de facto, aliada dos ossos mas os seus suplementos nem isso, sobretudo se em causa estiver a redução do risco de fratura.

A conclusão é de um dos maiores estudos sobre o tema e que envolveu cerca de 26 mil participantes. Publicado na revista científica The New England Journal of Medicine, a investigação revela que a toma de suplementos de vitamina D - com ou sem a toma de suplementos de cálcio - não tem qualquer efeito na prevenção de fraturas ósseas.

Para chegarem a esta conclusão, os cientistas recorreram a 25.871 participantes – homens com 50 anos ou mais e mulheres com 55 anos ou mais. De forma aleatória, uns foram designados a tomar 2.000 unidades internacionais de vitamina D3 (colecalciferol) por dia e os restantes apenas placebo. Os participantes foram acompanhados em média durante cinco anos e foram registadas “1.991 fraturas incidentes em 1.551 participantes”, lê-se no estudo

“A vitamina D 3 suplementar, em comparação com placebo, não teve um efeito significativo no total de fraturas (que ocorreram em 769 de 12.927 participantes no grupo de vitamina D e em 782 de 12.944 participantes no grupo placebo)”, dizem os cientistas.

Apesar de não terem encontrado uma relação fiável e credível entre os suplementos e a prevenção de fraturas ósseas, os cientistas, citados pelo "New York Times", destacam que há pessoas que beneficiam com este extra no seu plano alimentar: quem tem a doença celíaca ou a doença de Crohn e quem vive em zonas onde a luz solar é muito escassa, devendo haver sempre o devido acompanhamento médico, até porque o excesso apresenta riscos.

A luz do sol é a melhor fonte de vitamina D, embora esteja também presente, mas de uma forma muito menos significativa, em alguns alimentos, como peixes gordos, carne vermelha, cogumelos e ovos. Existam também à venda alimentos fortificados com este nutriente, como acontece com bebidas vegetais e cereais de pequeno-almoço, por exemplo. Recentemente, uma equipa de investigadores desenvolveu uma nova e potencial fonte vegan de vitamina D: o gene do tomate modificado com a tecnologia CRISPR-Cas9 para conter um precursor da vitamina D.

Este estudo faz parte de um conjunto de investigações sobre a eficácia da suplementação de vitamina D e Ómega-3, chamada VITAL, e financiado pelo Instituto Nacional de Artrite e Doenças Musculoesqueléticas e de Pele.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados