«Não me reduzo a avaliar o desempenho a FC Porto, Benfica e Sporting»

Ricardo Jorge Castro , Cidade Desportiva, Braga
22 jan, 13:53

Artur Jorge sublinha importância de tentar conquistar a Taça da Liga para juntar um troféu ao seu percurso no Sp. Braga, fala do lado mental e do ponto de situação sobre Bruma, Álvaro Djaló e Al Musrati

O treinador do Sporting de Braga, Artur Jorge, reconheceu esta segunda-feira a importância de tentar juntar um troféu ao seu percurso no clube, a nível pessoal, mas também para Braga, sublinhando que, para isso, é preciso ultrapassar um Sporting «difícil».

«Não só para mim, mas para o clube, mas para mim tem uma importância muito grande. O trabalho, muitas vezes, é balizado por conquistas e quando são materiais, melhor ainda. Tive oportunidade de estar numa final de Taça de Portugal. Procuro estar novamente numa final, desta vez da Taça da Liga, para juntar um troféu ao meu trajeto aqui dentro, mas como temos falado, temos de ultrapassar um Sporting que tem sido uma equipa difícil», afirmou, na conferência de imprensa de antevisão, deixando no ar a questão de se Bruma vai a jogo de início e sobre a recuperação de Al Musrati.

«Quero ter toda a gente: Musrati, Banza, Niakaté, jogadores que não estão disponíveis e que têm peso no desempenho da equipa. É meu desejo ter rapidamente todos os jogadores disponíveis, iremos aguardar para amanhã perceber, sabendo que o Banza e o Niakaté não estão, mas perceber de que forma podemos ter todos os outros, até porque estamos num processo de reintegração. Não só do Álvaro, mais atrasado mas que já está melhor em condições físicas, mas também do Bruma que jogou 15 a 20 minutos em Famalicão, dentro desse plano de voltar a competir. Estamos a trabalhar no sentido de ter toda a gente recuperada e capaz para a abordagem nos próximos jogos», respondeu, assumindo que é preciso «fazer muito de tudo» frente aos leões.

«Vamos ter pela frente um Sporting que é, nesta altura, uma equipa que tem demonstrado toda a sua qualidade, que está muito motivada, que é candidata a ganhar todos os troféus nesta altura em Portugal. Temos de fazer o nosso papel, para contrariar o que acabei de dizer. Podermos ser mais fortes do que este Sporting, ter ambição e determinação para fazer um bom jogo, disputá-lo da forma como se espera: intenso, vivo, com duas equipas muito ofensivas. A decisão é no sábado e é nesse sábado que queremos estar», garantiu.

Sobre os duelos com o Sporting, o Benfica e o FC Porto e a dificuldade de o Sporting de Braga se afirmar com consistência quanto a resultados positivos nesses jogos e às críticas associadas, Artur Jorge referiu que estas «fazem parte do trabalho».

«Percebo, já tive oportunidade de falar disso, em particular num contexto do confronto com o FC Porto. Mas nós temos é de fazer o nosso melhor em todos os jogos. Temos de pensar que, na altura das decisões encontram-se as melhores equipas. Falo de decisões intermédias, como uma decisão que podíamos passar para primeiro lugar, quando jogaram os quatro primeiros classificados entre si. Depois, tivemos o confronto com o Benfica para a Taça em que não fomos capazes. Não me reduzo a avaliar o desempenho da equipa a FC Porto, Benfica e Sporting. Fica redutor, sabendo eu que nestes confrontos se podem decidir troféus, finais, até classificações de campeonato. Temos de melhorar esse registo e ser mais fortes, para poder, nos momentos de decisão, ter capacidade de vencer», disse, reconhecendo também diferenças à partida para o reencontro com o Sporting, face ao empate a uma bola no Minho, para a I Liga.

«Há algumas diferenças e começando pela ausência de jogadores que não temos do nosso lado, o André Horta, o Niakaté, o Bruma que está a voltar. Temos algumas ausências e fazem desde logo essa diferença, mas o que nós procuraremos, não fugirá da nossa identidade enquanto Sporting de Braga. Procuraremos tentar vencer, utilizando todas as armas da melhor forma que possamos ter», expressou.

O técnico abordou também o lado mental dos jogos com o Sporting, sublinhando que até foi mais importante trabalhar esse aspeto nos jogos em que a equipa não venceu do que para novo embate com os leões.

«Faz mais sentido para mim, naquele período em que tivemos resultados sem ganhar. A equipa sente isso, fica desconfortável. Não é uma equipa que passe muito tempo sem ganhar e a intervenção aí pareceu-me mais necessária do que nesta altura, sendo que a vitória em Famalicão acaba por ajudar a equipa, sabendo que estes jogos são interessantes, para treinador, equipa, jogadores. Dá acesso a uma final, nesta altura tudo o que possa ser motivação e ambição tem de estar nos limites. É nestes jogos que fazemos a diferença e são estes jogos que nos acrescentam troféus», observou.

O Sp. Braga-Sporting tem apito inicial marcado para as 19h45 de terça-feira, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria. Nuno Almeida é o árbitro de um jogo que pode seguir, ao minuto, no Maisfutebol.

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados