Duas doses da CoronaVac "neutralizam" variante Ómicron, garante laboratório brasileiro

Agência Lusa , BCE
12 jan, 22:22
CoronaVac
CoronaVac

Ensaio de neutralização da Ómicron pela CoronaVac, conduzido por investigadores chineses, foi publicado na segunda-feira no periódico científico Emerging Microbes&Infections

PUB

Duas doses da vacina Coronavac contra a covid-19, da biofarmacêutica chinesa Sinovac, "neutralizam a variante Ómicron", referem estudos fornecidos esta quarta-feira pelo Instituto Butantan, que desenvolve a vacina em solo brasileiro.

Em declarações à CNN Brasil, o instituto, com sede no estado de São Paulo e que produz no Brasil a CoronaVac, indicou que a efetividade da vacina foi comparada em quatro estudos científicos, sendo que o primeiro reuniu resultados do ensaio de neutralização da CoronaVac para a Ómicron e os outros três trabalhos referem-se a diferentes ensaios de neutralização da vacina Pfizer contra a nova variante.

PUB

Os estudos apontaram que a capacidade da vacina chinesa para neutralizar a Ómicron é igual ou superior à do imunizante da Pfizer para a mesma linhagem.

As diferentes etapas do estudo desenvolvido pelo Instituto Butantan

Para a análise os cientistas geraram partículas semelhantes ao vírus contendo a proteína Spike de sete estirpes do novo coronavírus: as variantes de preocupação Ómicron, Alfa, Beta, Gama e Delta, além das variantes de interesse Lambda e Mu.

PUB
PUB
PUB

A partir das partículas das sete estirpes, os cientistas avaliaram a resposta viral à exposição aos anticorpos neutralizantes contidos nas amostras de soro de 16 pacientes convalescentes, que contraíram o vírus original, entre janeiro e março de 2020.

O ensaio de neutralização revelou que 16 amostras mostraram reduções médias de 10,5 vezes da neutralização contra a Ómicron, 2,2 vezes contra a Alfa, 5,4 vezes contra a Beta, 4,8 vezes contra a Gama, 2,6 vezes contra a Delta, 1,9 vezes contra a Lambda e 7,5 vezes contra a variante Mu.

Posteriormente, a mesma análise foi realizada com os anticorpos neutralizantes presentes no soro de 20 pessoas que completaram o esquema de duas doses da CoronaVac, administradas entre maio e junho de 2021.

Nessa fase, os cientistas verificaram que o plasma dos vacinados com duas doses da CoronaVac mostraram uma redução de neutralização média de 12,5 vezes face à Ómicron, de 2,9 vezes contra a Alfa, 5,5 vezes contra a Beta, 4,3 vezes contra a Gama, 3,4 vezes contra a Delta, 3,2 vezes contra a Lambda e 6,4 vezes contra a variante Mu.

PUB
PUB
PUB

O ensaio de neutralização da Ómicron pela CoronaVac, conduzido por investigadores chineses, foi publicado na segunda-feira no periódico científico Emerging Microbes&Infections.

Juntamente com os Estados Unidos e Índia, o Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia, com mais de 620 mil mortes e 22,6 milhões de pessoas infetadas.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados