Fernando Santos e polémica com Ronaldo: «Também foi difícil para mim»

29 jan, 15:22
Fernando Santos (foto: @kartalismus)

Antigo selecionador voltou a abordar o caso do Mundial 2022 e diz que se Portugal tivesse vencido Marrocos, o avançado teria voltado a ser titular nas meias-finais

Fernando Santos, atual treinador do Besiktas, continua a considerar Cristiano Ronaldo como «melhor jogador do mundo» e, numa entrevista ao jornal saudita Al-Sharq Al-Awsat, voltou a abordar a polémica com o mais internacional de todos os portugueses no Mundial 2022 que decorreu no Qatar.

«Já falei sobre isso e entendo que o Cristiano não tenha ficado feliz por ter começado dois jogos no banco, mas devo dizer que ele teve uma atitude impecável com a equipa. Como pode ser visto nas imagens, ele festejou bastante os golos contra a Suíça, num jogo que vencemos por 6 a 1, e deu o seu melhor quando entrou em campo», destacou.

O antigo selecionador vai mais longe e diz mesmo que, caso Portugal tivesse vencido Marrocos, Cristiano voltaria a ser titular. «Se tivéssemos vencido os quartos-de-final, ele provavelmente teria voltado à equipa titular. Foi apenas uma decisão tática e também foi muito difícil para mim. Tive e ainda tenho um carinho muito grande por ele, que vai além do futebol. Hoje, Ronaldo está de volta em excelente forma, está a jogar regularmente, o que não acontecia antes do Mundial, e está a marcar muitos golos. Estou muito feliz por ele», acrescentou.

Para não restarem dúvidas, Fernando Santos acrescenta que continua a considerar Cristiano Ronaldo como o melhor jogador do mundo. «Já o disse muitas vezes e vou dizer mais uma vez. Cristiano Ronaldo é o melhor jogador de todos os tempos», reforçou.

Depois da seleção portuguesa, Fernando Santos teve uma curta passagem pela Polónia e está agora ao serviço dos turcos do Besiktas. «É uma grande honra ter recebido o convite para representar este gigante do futebol turco. Temos analisado o plantel com calma e serenidade. Há uma coisa que sempre tive em mente como treinador: vencer. Sou muito ambicioso e sou um treinador que monta equipes para vencer, mas sei que chegamos a meio de uma temporada comprometida em relação a determinados objetivos e precisamos ser realistas quanto às possibilidades que a equipa tem para se classificar para a Liga dos Campeões. Quando cheguei a distância já era muito grande», destacou.

O treinador português abordou ainda o crescimento do futebol saudita e chegada de treinadores portugueses como são os casos mais mediáticos de Jorge Jesus (Al Hilal) ou Luís Castro (Al Nassr). «Tenho acompanhado os jogos da liga saudita, principalmente depois do forte investimento feito por vários clubes. O Luís e o Jorge estão a fazer um trabalho muito bom porque são ambos excelentes treinadores. Também está lá outro treinador muito bom, Pedro Emanuel. Conheço-os bem, estão a construir equipas muito competitivas e será um campeonato muito interessante de acompanhar», comentou.

Além dos treinadores, também há vários internacionais portugueses a jogar no campeonato saudita, além de Cristiano Ronaldo, como são os casos de Otávio ou Rúben Neves. «Em Portugal, inicialmente, houve alguma surpresa, mas rapidamente se percebeu que havia e há uma estratégia de médio e longo prazo bem pensada. Pelo que sei, os jogadores estão satisfeitos com as condições e com o país», referiu ainda.

Quanto à possibilidade de um dia também vir a trabalhar na Arábia Saudita. «O meu foco neste momento está totalmente no Besiktas, onde queremos fazer o melhor que pudermos nesta temporada e começar a estabelecer as bases para sermos mais competitivos», destacou ainda.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Mais Lidas

Patrocinados