Vinho com melancia, cerveja com amendoins, leite à refeição, vinagre na salada. Estas combinações fazem mesmo mal ou são um mito? Separe aqui as suas dúvidas

17 jun 2023, 17:00
Alimentação (Pexels)

Olhe que nem sempre a sabedoria popular tem razão. E é por isso que chamámos ao serviço as nossas nutricionistas: para saber o que pode ou não juntar na mesma refeição

É verdade, há mesmo alimentos que não devem ser combinados. E o motivo é simples: diminuem a absorção de outros nutrientes.

“Além de afetarem a absorção, estas interações também influenciam a biodisponibilidade, ou seja, a quantidade de nutriente ingerida que é efetivamente absorvida”, confirma Beatriz Vieira, nutricionista no Hospital Lusíadas Amadora. Quanto mais variada a dieta, é menos provável que sinta os efeitos destas interações, caso as faça, aponta.

Há combinações de alimentos onde a ciência prova mesmo que não trazem benefícios. E outras que a sabedoria popular diz que fazem mal, mas que, na verdade, não passam a mitos. Vamos a elas, rapaziada.

Carne ou peixe com leite

“Se tiver anemia, não deverá combinar alimentos fornecedores de ferro (carne, ovo, peixe, leguminosas) com lacticínios ou alimentos fortificados em cálcio (como as conhecidas bebidas vegetais ou iogurtes vegetais) visto que a absorção do ferro é afetada negativamente”.

O conselho é de Ana Rita Lemos, nutricionista no Hospital Lusíadas Lisboa. Isto porque o cálcio inibe a absorção de ferro. Se é dos que costuma acompanhar as refeições principais com um copo de leite, o melhor é alterar este hábito.

Vinho com melancia

Há a ideia de que combinar vinho e melancia não é muito boa ideia. Mas, segundo os nutricionistas, não passa de um mito.

“Se fizer a experiência num copo, juntado melancia e vinho, ocorre de facto uma reação de endurecimento do fruto. Em causa está uma reação química que provoca esta alteração. Todavia, esta reação não ocorre aquando da digestão visto que, no estômago, existe um pH e tempos de digestão específicos”, conta Ana Rita Lemos.

O que é preciso é ter cuidado com a quantidade de melancia que se come. Porque, como é uma fruta fresca e com elevado teor de água, tende-se a comer mais. E isso, sim, poderá provocar uma sensação de enfartamento, diz a especialista.

Cerveja com amendoins, cajus e pistácio

Amendoim, caju ou pistácio. Há quem já não os dispense na hora de beber uma cerveja com os amigos. Mas é uma mistura aconselhável?

“Poderá promover uma maior desidratação. O consumo de frutos secos salgados poderá provocar ainda mais sede e estimular o consumo de mais cerveja”, explica Ana Rita Lemos.

A cerveja tem um efeito diurético, levando-nos a urinar mais. E, perante a desidratação, o corpo acaba a procurar “toda a água disponível, incluindo as reservas cerebrais”. Daí as típicas dores de cabeça.

(Pexels)

Limão e vinagre na salada

Podem o sumo de limão ou o vinagre, que tantas vezes usamos para temperar, alterar o valor nutricional da salada? Se já lhe disseram que sim, enganaram-no.

“Não altera significativamente o valor nutricional da salada”, diz Ana Rita Lemos. Com uma ressalva: se optar por pastas ou cremes de vinagre, estes poderão “arruinar” o valor nutricional da salada, porque “contêm açúcar”.

Já Beatriz Vieira diz que o uso de limão na salada pode mesmo “potenciar a absorção de alguns nutrientes”. Como o limão é rico em vitamina C, promove a absorção de ferro.

Leite com fruta

E a combinação de leite com fruta? Fazem mal em conjunto? Outro mito. “Não é prejudicial consumir fruta depois de ingerir leite. O único aspeto que podemos salientar é uma possível interferência da fibra solúvel, presente em algumas frutas, como a maçã e os frutos cítricos, na absorção de cálcio presente no leite”, explica Beatriz Vieira.

Mas há outra vertente desta combinação: “muitas frutas também apresentam potássio, que ajuda a reduzir a depleção de cálcio”. Assim, diz a nutricionista, há mais vantagens de combinar fruta com leite do que separá-las.

Leite com chocolate

É uma mistura que alegra miúdos e graúdos. Mas poderá ela ser prejudicial? “O cacau apresenta na sua composição ácido oxálico que é um inibidor da absorção de cálcio”, diz Beatriz Vieira. Assim, no leite achocolatado, poderá existir uma absorção de cálcio mais reduzida face ao leite branco.

Mas, vá, não desista desta combinação se gosta tanto dela: “como a concentração de cacau nestas bebidas é reduzida, esta interação pode não ser significativa”.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados