opinião
Editor-Geral da CNN Portugal

À segunda pode ser de vez…

6 abr, 07:00

Depois da derrota contra Rui Rio, Luís Montenegro avança esta quarta-feira com a sua há já muito anunciada candidatura à liderança do PSD…

E currículo não lhe falta:

Depois foi estudar para o estrangeiro, obrigou-se ao silêncio perante as sucessivas turbulências da atual direção laranja e avança agora para as diretas de 28 de maio.

Aos 49 anos, o seu é um partido menos ao centro, defensor de alianças com parceiros à direita (com exceção do Chega), bem como de uma redução da carga fiscal; afirmou-se “contra o Estado dirigista, contra um  Estado que vira costas à solidariedade intergeracional e que onera os vindouros de forma injusta e irresponsável”.

Enfrenta fantasmas antigos: a desmentida pertença à maçonaria, a ida com outros políticos ao Euro 2016 no processo conhecido como das viagens dos deputados de que foi arguido.

Enfrenta, em caso de vitória, um grupo parlamentar que não escolheu e ao qual não pertence e uma travessia do deserto de quatro anos e meio na oposição e em maioria absoluta socialista.

Nadador salvador em Espinho nos tempos de juventude, atleta de minitrampolim, voleibol e andebol, Luís Montenegro aposta na rutura politica com Rui Rio, terá de levar a cabo a clarificação ideológica onde situa o seu PSD e reconquistar o eleitorado que fugiu do partido nos últimos anos.

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados