NASA dá puxão de orelhas a astronautas russos. Mostraram as bandeiras de Donetsk e Lugansk no Espaço

8 jul, 18:21
Astronautas russos seguram bandeira da autoproclamada República Popular de Lugansk (Roscosmos)

Astronautas da Roscosmos mostraram as bandeiras das repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk, o que não caiu bem junto dos norte-americanos

A NASA emitiu esta quinta-feira uma nota de condenação à Roscosmos, a agência espacial da Rússia e a principal parceira dos norte-americanos na Estação Espacial Internacional. Em causa está a comemoração de astronautas russos da conquista da região de Lugansk, no este da Ucrânia.

Em comunicado, a agência espacial norte-americana disse que “repreende fortemente a utilização da Estação Espacial Internacional para propósitos políticos que apoiam a guerra contra a Ucrânia, que é fundamentalmente inconsistente com a função primária entre os 15 países participantes que desenvolvem a tecnologia e a ciência para propósitos de paz”.

A Roscosmos partilhou na segunda-feira fotografias dos seus três astronautas com as bandeiras das autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, regiões separatistas pró-russas que querem a independência da Ucrânia, e que apenas são reconhecidas por Rússia e Síria. Além disso, a própria agência russa descreveu a captura de Lugansk como um “dia de libertação para celebrar tanto na Terra como no Espaço”.

Astronautas russos exibem bandeira da autoproclamada República Popular de Donetsk (Roscosmos)

 

Astronautas russos seguram bandeira da autoproclamada República Popular de Lugansk (Roscosmos)

Esta não é a primeira vez desde o início da guerra que os responsáveis russos têm manifestações semelhantes. A 28 de abril dois astronautas mostraram uma bandeira que simbolizava a vitória da União Soviética na Segunda Guerra Mundial. Apesar de a União Soviética ter sido extinta há 31 anos, o presidente Vladimir Putin deixa, sempre que pode, palavras de saudosismo em relação a esses tempos.

Astronautas russos exibem bandeira da União Soviética (Roscosmos/AP)

Apesar da invasão russa a NASA tem tentado manter as relações de parceria com a Roscosmos, que duram há mais de 20 anos. Entre outras coisas os norte-americanos lembraram que os astronautas de ambos os países têm vivido lado a lado.

Isso mesmo foi confirmado logo no início da invasão, quando Kathy Lueders, uma das administradoras da NASA, disse que, apesar da crescente tensão, a NASA e a Roscosmos “continuam a falar e a treinar”.

“Ainda trabalhamos juntos. Obviamente que percebemos a situação global, mas estas duas equipas estão a trabalhar em conjunto”, afirmou, admitindo que a situação deve continuar a ser monitorizada.

Este é o ponto mais alto entre as duas agências espaciais desde que a Rússia decidiu explodir um satélite que acabou por causar vários detritos que ameaçaram a estação espacial. Na altura a NASA, pela voz do administrador Bill Nelson, condenou fortemente a ação, que apelidou de “imprudente e perigosa”.

Ainda assim, e tal como fez este ano Kathy Lueders, o responsável lembrou que o objetivo é ter paz.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados