Saiba tudo sobre o Euro aqui

PSD vence regionais da Madeira com o pior resultado de sempre

26 mai, 19:17
Eleições na Madeira (Homem de Gouveia/Lusa)

Esquerda com grande derrota e JPP a surpreender

O PSD venceu este domingo as eleições regionais da Madeira, acabando a votação com 36,13% e 19 deputados eleitos, naquele que é o pior resultado de sempre do partido da região autónoma, e que confirma a ausência de uma maioria absoluta.

Mesmo aliando-se ao CDS, que conseguiu dois mandatos, os dois juntos alcançam apenas 21 deputados, não chegando aos 24 necessários para uma maioria.

PSD e CDS precisam, assim, de dialogar com mais parceiros, sendo que Miguel Albuquerque já disse que está disponível para dialogar com o Juntos Pelo Povo (JPP), o grande vencedor das eleições, com 16,89% e nove deputados eleitos, ou com o Chega, que mantém os quatro deputados, mas aumenta a votação para 9,23%.

No ano passado, nas anteriores regionais, o PSD e o CDS-PP, que concorreram coligados, elegeram 23 deputados, pelo que os sociais-democratas assinaram um acordo de incidência parlamentar com a deputada única do PAN.

O PS foi a segunda força mais votada, com 21,32%, e elegeu 11 deputados, e o Juntos pelo Povo (JPP) foi terceiro, com 16,89% e nove deputados, segundo dados da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral.

Seguem-se o Chega, com quatro, o CDS-PP, com dois, e a IL e o PAN, com um deputado cada. Saem da Assembleia Legislativa, em relação à anterior composição, o BE e a CDU.

O PSD, que preside ao executivo regional desde as primeiras eleições em democracia, perdeu pela primeira vez a maioria absoluta em 2019 e, após as eleições, assinou um acordo com os democratas-cristãos, com os quais governou nas duas últimas legislaturas.

Esquerda sofre derrota

A Coligação Democrática Unitária (CDU – PCP/Verdes) e o Bloco de Esquerda (BE) falharam a eleição de deputados nas eleições regionais antecipadas da Madeira, ficando de fora da Assembleia Legislativa madeirense, segundo os resultados provisórios.

Esta é a terceira vez que tanto a CDU como o BE falham a presença no parlamento da Madeira.

De acordo com os resultados oficiais provisórios da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, a CDU conseguiu 1,63% dos votos (2.217) e foi a oitava força política mais votada em 14 que concorreram.

Seguiu-se o BE, 1,41% e 1.912 votos.

A CDU concorre nas eleições legislativas regionais desde 1976 e não conseguiu eleger deputados nesse ano, em 1988 e agora.

Nas últimas eleições, em setembro de 2023, tinha elegido um.

Por seu lado, o BE, que concorre desde 2004, ficou sem representante no parlamento madeirense em 2011 e em 2019.

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados