Lar de idosos na zona da Covilhã alvo de buscas por alegado crime de peculato

Agência Lusa , AM
9 mai, 07:08
Estrutura de Retaguarda Covid-19 (José Coelho/ Lusa)

Há também suspeitas de terem sido subtraídas à fundação verbas transferidas pela Segurança Social para a cantina social

O Ministério Público (MP) realizou na terça-feira buscas numa fundação, situada na zona da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, no âmbito de um inquérito que investiga um alegado crime de peculato.

O MP investiga “factos suscetíveis de constituir crime de peculato” por suspeita de que tenha havido “apropriação de quantias monetárias pertencentes a utentes”, é referido numa nota daquele departamento, disponível no ‘site’.

Há também suspeitas de terem sido subtraídas à fundação, registada como Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) desde 1999 com o estatuto de utilidade pública, verbas transferidas pela Segurança Social para a cantina social.

De acordo com uma nota publicada, o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) refere que o processo teve origem numa denúncia recebida pelo MP.

Os processos que “tenham por objeto a prática de factos suscetíveis de constituir crime de maus tratos a utentes de estruturas de acolhimento residencial de pessoas idosas (licenciadas ou não licenciadas) e/ou de apropriação indevida dos seus rendimentos e património e de outras condutas criminosas associadas ao funcionamento dessas estruturas, designadamente infrações de natureza económico-financeira, estão a ser concentrados no DCIAP”, é referido ainda na nota.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados