Kate Middleton diagnosticada com cancro

22 mar, 18:01

O tumor foi descoberto após uma cirurgia abdominal em janeiro

Kate Middleton foi diagnosticada com cancro. Num vídeo divulgado pelo Palácio de Kensington, a princesa de Gales, de 42 anos, diz que está a fazer quimioterapia “preventiva” e que o diagnóstico foi um “grande choque”. Mas acredita que vai “ficar bem”.

“Ter William ao meu lado também é uma grande fonte de conforto e segurança. Assim como o amor, o apoio e a gentileza demonstrados por todos. Significa muito para nós os dois”, diz, revelando que tem mantido os três filhos a par da sua condição e que está a ser acompanhada por uma “equipa médica incrível”.

Na mensagem esta sexta-feira divulgada, Kate revela que tem feito os possíveis para, com William, conseguir “gerir” a situação com “privacidade”, sobretudo pelo bem-estar dos seus filhos. “Como podem imaginar, isto levou tempo. Levei tempo a recuperar de uma grande cirurgia para poder iniciar o meu tratamento. Mas, acima de tudo, levou-nos tempo a explicar tudo ao George, à Charlotte e ao Louis de uma forma que fosse adequada para eles e a tranquilizá-los de que eu vou ficar bem”.

“Como lhes disse, estou bem e a ficar mais forte todos os dias, concentrando-me nas coisas que me ajudarão a recuperar, a minha mente, o meu corpo e o meu espírito”, assegura.

O tumor foi descoberto após uma cirurgia abdominal em janeiro. Na altura, revela Kate,  pensava-se que a sua condição não era cancerígena. No entanto, as análises feitas após a operação revelaram que se trata de um tumor maligno, tendo, por isso, começado a fazer “quimioterapia preventiva”, mas sem revelar onde foi encontrado o tumor e em que estágio está, algo que o próprio o Palácio de Kensington não irá divulgar, segundo a imprensa britânica. “Estou agora na fase inicial do tratamento”.

“Esperamos que compreendam que, como família, precisamos agora de algum tempo, espaço e privacidade enquanto concluo o meu tratamento”, pede.

A princesa de Gales deixa ainda uma mensagem “todos aqueles cujas vidas foram afetadas pelo cancro”: “Não percam a fé nem a esperança. Não estão sós”.

Este é o terceiro caso de cancro na família real britânica este ano. Em fevereiro, o rei Carlos III revelou ter sido diagnosticado com a doença, tendo já iniciado os tratamentos. Um mês antes, a duquesa de Iorque, Sarah Ferguson, foi diagnosticada com um melanoma maligno, meio ano depois de ter sido operada a um cancro da mama.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados