JMJ: 16 mil elementos vão garantir a segurança em Lisboa

CNN Portugal , MJC
14 jul 2023, 15:47
Jornadas Mundiais da Juventude: construção da cúpula do altar palco no Parque Tejo-Trancão (Lusa/ José Sena Goulão)

Além dos recintos onde vão decorrer os eventos, as autoridades vão dar mais atenção a zonas de grande concentração como parques e praias

16 mil elementos das forças da segurança, proteção civil e emergência médica estão destacados para a operação de segurança da Jornada Mundial de Juventude, que acontece de 1 a 6 de agosto em Lisboa.

"Pretendemos atingir os mais elevados padrões de segurança e provocar o mínimo impacto, quer nos peregrinos quer nas populações" que acolhem o evento, afirmou Paulo Vizeu Pinheiro, secretário-geral do serviço de segurança, na apresentação do plano global de segurança. O plano vai envolver todas as autoridades ligadas à segurança e irá atuar em quatro áreas:

  • Mobilidade - incluindo a mobilidade rodoviária, que se prevê ser a mais utilizada pelos peregrinos.
  • Evitar o excesso de lotação dos recintos e de outras zonas que se prevê serem de grande aglomeração (em conjunto com as autarquias). Haverá uma atenção especial aos espaços públicos, como jardins, parques e praias.
  • Medidas de controlo do espaço aéreo - limitações de exploração em 23 aeródromos e criação de quatro zonas de exclusão aérea em Lisboa e Fátima. Numa zona de exclusão aérea a circulação de aeronaves está interdita ou restringida. Paulo Vizeu Pinheiro salvaguardou que os voos comerciais no aeroporto de Lisboa e no aeródromo de Cascais serão permitidos, mas terão de "cumprir as regras" determinadas pelas autoridades.  
  • Reposição do controlo documental de fronteiras.

A visita do Papa Francisco a Portugal no âmbito da JMJ será a mais longa alguma vez realizada ao nosso país, o que implica medidas especiais de segurança em coordenação com os serviços de do Vaticano

Além disso, está garantido o reforço das redes de comunicação de segurança

Ana Catarina Mendes, ministra dos Assuntos Parlamentares, sublinhou a dimensão do evento, que concentra numa semana e na região de Lisboa, centenas de milhares de pessoas - colocando-o num patamar acima de desafios anteriores como a Expo'98 ou o campeonato Euro 2004.  A preparação da JMJ é "um trabalho profissional, feito ao longo dos últimos 400 dias", mas a ministra garante que "Portugal demonstrará mais uma vez que perante um desafio desta natureza estaremos à altura de bem receber, de bem acolher" e que "garantiu que tudo o que estava ao nosso alcance foi feito".
 

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados