Um isqueiro, um morto, feridos graves, uma demissão apresentada, uma demissão rejeitada: incêndio no S. João, o ponto da situação

20 dez 2021, 22:10

Fogo no Serviço de Pneumologia causou um morto e nove feridos. Quatro doentes encontram-se em estado grave. Administração do Hospital apresentou a demissão, a ministra da Saúde não a aceitou

PUB

O incêndio que deflagrou este domingo no hospital de São João, no Porto, está a ser investigado pela Polícia Judiciária, numa altura em que são já conhecidos alguns detalhes do incidente, do qual resultaram várias vítimas.

Onde

PUB

O incêndio deflagrou no Serviço de Pneumologia, no piso 9, do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ). O alerta foi dado às 17:43 de domingo e o fogo foi dado como extinto pelos Sapadores Bombeiros do Porto às 19:00. O incêndio afetou ainda outros andares.

Vítimas

Um paciente que estava internado morreu e nove pessoas ficaram feridas, quatro em estado grave, todos doentes. Cinco profissionais de saúde sofreram ferimentos ligeiros e já tiveram alta.

Origem

Não está confirmado que na origem do incêndio esteja um cigarro, como foi inicialmente avançado por fonte do hospital à CNN Portugal. O hospital confirma apenas que um dos pacientes acendeu um isqueiro.

Como

Um dos pacientes que estava internado no Serviço de Pneumologia, devido a cancro no pulmão, terá acendido um isqueiro quando se encontrava a receber oxigénio e a chama terá causado a explosão da garrafa à qual estava ligado. Este paciente é um dos feridos graves. Já a vítima mortal estaria na cama ao lado.

PUB
PUB
PUB

Transferidos

Todos os doentes internados nas unidades afetadas foram transferidos para outras zonas do hospital.

Reação

Segundo o hospital, o plano de incêndio do hospital e o plano de emergência interno foram prontamente ativados, possibilitando a deslocação de doentes e profissionais, bem como o combate ao incêndio pelas equipas internas e pelos bombeiros.

Investigação

O hospital de São João abriu de imediato um processo de averiguações para apurar as causas do incêndio, bem como a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Consequências

O conselho de administração do hospital pediu entretanto a demissão, pedido esse que foi rejeitado pela ministra da Saúde.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados