"Não temos medo de grandes ataques com mísseis, aeronaves russas e colunas de tanques sem fim”, atira Volodymyr Zelensky

9 abr, 14:43

Vincando que a Ucrânia causou “grande perdas” no Exército russo, o presidente ucraniano afirmou que o esforço do país “uniu todo o mundo democrático”

Volodymyr Zelensky garantiu este sábado, num discurso durante o evento "Stand Up for Ukraine", que pretende angariar milhões de euros para ajudar a Ucrânia, que o país "não tem medo" da Rússia, e que os adversários falharam "num fator".

“O ataque do maior país do mundo em território, agressividade e impunidade falhou num fator: o facto de ter atacado o outro maior país do mundo, a Ucrânia, o maior pela sua coragem. Não temos medo de grandes ataques com mísseis, aeronaves russas e colunas de tanques sem fim”, afirmou o presidente ucraniano.

Vincando que a Ucrânia causou “grande perdas” no Exército russo, Zelensky afirmou que o esforço ucraniano “uniu todo o mundo democrático”.

“As pessoas de diferentes países conhecem a nossa bravura. Deverá ser sempre lembrada na História, mas gostaria que a coragem da Ucrânia fosse partilhada por todo o mundo enquanto nos defendemos contra a maior tirania de todas”, disse

O presidente ucraniano pediu ao mundo para “forçar a Rússia a procurar a paz e responsabilizar as forças russas pelos crimes cometidos contra o povo ucraniano”, e voltou a implorar por sanções a todos os bancos russos e pelo embargo total ao petróleo russo.

“Deve ser negada à máquina de guerra da Rússia a sua capacidade de agir”, atirou, reiterando o pedido de mais armas e financiamento para país.

"Ucrânia sempre disse que está pronta para negociações"

Momentos antes, após uma conversa com o chanceler austríaco, Karl Nehammer em Kiev, o presidente ucraniano afirmou que o país está preparado para negociações, mas lamenta os "preparativos" da Rússia para uma batalha no leste da Ucrânia.

"A Ucrânia sempre disse que está pronta para negociações e procurará quaisquer formas de acabar com a guerra. Paralelamente, e infelizmente, vemos preparativos para uma batalha decisiva no leste do país", disse Zelensky, citado pela Interfax-UA.

"Há uma acumulação de tropas. Um grande número de tropas, equipamento e soldados que vão ocupar outra parte dos nossos territórios. Será uma batalha difícil. Acreditamos na nossa luta e na vitória. Por isso, estamos prontos para lutar e simultaneamente procurar certas formas na diplomacia que possam parar esta guerra. Por agora. Até agora, estamos a falar de um diálogo paralelo", afirmou o chefe de Estado da Ucrânia.

Campanha junta mais de 10 mil milhões de euros

A campanha internacional de angariação de fundos arrecadou 10,1 mil milhões de euros para apoiar a Ucrânia invadida pela Rússia, anunciou hoje a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em Varsóvia.

A campanha “Stand Up for Ukraine” foi lançada pela organização internacional Global Citizen, com o apoio da União Europeia (UE) e do primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, e juntou artistas como Elton John, Alanis Morrissette, Billie Eilish, Annie Lennox ou Chris Rock, que se comprometeram a mobilizar dinheiro para ajudar os refugiados ucranianos.

“O mundo finalmente prometeu 9,1 mil milhões de euros como parte da campanha (...) Além disso, a Comissão, em colaboração com o Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), acrescentou mil milhões de euros adicionais para as pessoas deslocadas na Ucrânia. É fantástico! Portanto, temos 10,1 mil milhões de euros", disse von der Leyen.

“A solidariedade de países, empresas e pessoas em todo o mundo oferece alguma luz nesta hora sombria”, disse von der Leyen, durante a cerimónia de encerramento da campanha “Stand Up for Ukraine”.

"E assim que as bombas pararem de cair, ajudaremos o povo ucraniano a reconstruir o seu país. Continuaremos a defender a Ucrânia", acrescentou.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados