A maior coleção do mundo de aviões de combate está num castelo francês (F-16, Mirage, MiG...)

CNN , Miquel Ros
7 mai, 11:00

As linhas elegantes e cinzentas-escuras de um caça F-16 Fighting Falcon, ladeado por dois outros veteranos dos céus da Guerra Fria, um Dassault Mirage IV francês e um F-104 Starfighter, não é o que normalmente se espera encontrar ao entrar no pátio de um castelo francês com 700 anos.

A presença conspícua desta tríade de aviões de combate num cenário tão improvável oferece uma antevisão do que esta mansão histórica tem reservado para os seus hóspedes.

O Château de Savigny-lès-Beaune, na pequena aldeia borgonhesa com o mesmo nome, remonta ao século XIV e seria apenas mais uma das muitas propriedades vinícolas que pontilham esta região histórica de França, se não fosse a paixão pessoal e a iniciativa de um homem, Michel Pont.

Viticultor, piloto de automóveis e ávido colecionador, Pont comprou o castelo em 1979 e, nas quatro décadas seguintes, até à sua morte em 2021, transformou-o num tesouro para todos os interessados em mecânica e engenharia.

"O meu pai pilotou carros Abarth durante cinco anos, entre 1968 e 1973. Guardou os seus carros e, ao mesmo tempo, começou também a colecionar motas. A maioria delas foi adquirida como sucata", diz Christophe Pont, filho de Michel e atual proprietário e gestor do castelo.

No final dos anos 70, Pont tinha já uma coleção significativa de veículos, incluindo 10 carros de corrida Abarth e mais de 300 motociclos antigos. No entanto, estava apenas a começar. O lote inicial de automóveis e motas foi aumentando cada vez mais e começou a ramificar-se.

Coleção privada que bate recordes

Michel Pont fez a sua coleção ao longo de quatro décadas. Cortesia de Miquel Ros

Em meados da década de 80, Pont, que era ex-militar, questionou a Força Aérea Francesa sobre a possibilidade de obter um dos seus caças Mirage III desativados para expor no castelo. O pedido foi aceite e, seis meses depois, o que viria a ser o núcleo da maior coleção privada de aviões de combate do mundo estava a caminho de Savigny-lès-Beaune.

Não é exagero dizer que muitos museus aeroespaciais nacionais ficariam com inveja do que está em exposição: cerca de 100 aviões de diferentes marcas e proveniências, todos perfeitamente alinhados nos terrenos do castelo.

A lista é como um "quem é quem" da aviação militar do século XX: várias versões diferentes de Mirages e Mystères franceses, caças americanos da série F-100 e MiGs e Sukhois de fabrico soviético estão entre os muitos tipos de aviões e helicópteros que pode encontrar aqui.

Durante anos, Michel e Christophe Pont percorreram toda a Europa e não só, a fim de aumentar a sua coleção. Os aviões que conseguiam obter eram depois desmontados e trazidos para Château-Savigny para serem montados no local.

À medida que as exposições aumentavam de tamanho e de âmbito, a notícia espalhou-se e a família Pont começou a receber ofertas para receber todo o tipo de máquinas.

Muitas delas acabaram por encontrar o seu lugar no castelo, que agora possui nove áreas de exposição diferentes, desde satélites e tecnologia espacial a tratores e equipamento de vinificação, para além das já mencionadas coleções de aviões, carros de corrida Abarth e motas históricas.

Carros de bombeiros, hovercrafts e muito mais

Se a exposição de aviões ao ar livre é suficiente para fazer disparar o coração de qualquer amante da aviação, o âmbito e a diversidade das outras coleções também podem, por vezes, ser esmagadores.

A escala total desta extravagância torna-se cada vez mais evidente ao visitar os vários pavilhões espalhados pela propriedade ou ao percorrer lentamente os salões e corredores do castelo.

À medida que se passa de uma sala para outra, cada uma repleta de milhares e milhares de modelos à escala de praticamente todos os tipos de aviões que já voaram e de todas as marcas de automóveis que já foram produzidas, tropeça-se em inúmeros outros objetos interessantes, desde assentos ejetáveis e canópias de caças a motores desmontados, espalhados por todo o lado de uma forma aparentemente aleatória.

Michel Pont foi piloto de automóveis durante cinco anos. Cortesia de Miquel Ros

Uma das coleções mais coloridas do Château-Savigny, no sentido literal, é talvez a dos carros de bombeiros, que foi criada com a colaboração de Jean-Claude Picot, um amigo de Pont Senior.

Picot tinha uma empresa de construção de veículos de emergência e, quando se reformou, trouxe para o castelo a sua coleção privada de carros de bombeiros, que mostra a evolução do equipamento de combate a incêndios ao longo de todo o século XX.

Depois, há a sala dedicada aos assuntos navais. Notavelmente, para um local que fica a centenas de quilómetros do mar, o castelo não só tem uma pequena exposição naval, como também alberga vários hovercraft Bertin. Estes foram concebidos na década de 60 por Jean Bertin, um engenheiro francês a quem também se atribui o desenvolvimento do Aérotrain, uma tecnologia futurista para fazer circular comboios de alta velocidade numa almofada de ar que desliza sobre carris de betão. Os "Bertins" foram recuperados por Pont de um monte de sucata e trazidos para o castelo, onde se encontram agora junto a uma das vinhas da propriedade.

Preservar para o futuro

"Neste momento, já não pretendo acrescentar peças de museu", afirma Christophe Pont à CNN. "O meu principal objetivo é preservar e continuar o trabalho do meu pai. Tenho de assegurar a continuidade das coleções. Foi com este objetivo que revendi algumas peças. Isto permitiu-me comprar parte das coleções aos meus irmãos e deu-me também a oportunidade de reduzir um pouco as coleções de modo a destacar algumas das peças mais valiosas." O seu desejo para o futuro é que "daqui a vinte anos, a nossa coleção de aviões esteja alojada num museu interior que a proteja das intempéries".

Todos estes múltiplos e variados interesses não impediram a família Pont de continuar a cuidar das vinhas da propriedade. Afinal de contas, a atividade tradicional do castelo sempre foi, e continua a ser, a produção de vinho.

Embora a maioria dos 30.000 visitantes que o castelo recebe todos os anos seja atraída pelas suas coleções únicas, existe também uma oferta para os interessados no enoturismo puro e simples.

Com a região vinícola da Borgonha a ostentar 84 denominações de origem para o vinho ("Appellations d'Origine Contrôlées" ou AOC, em francês), incluindo uma específica para a aldeia de Savigny-lès-Beaune, não é de surpreender que o Château-Savigny tenha também as suas próprias salas de prova e loja.

Independentemente da razão que o traz a este canto da França rural, é melhor reservar algum tempo na sua agenda, porque o mais ecléctico dos castelos franceses vai garantidamente mantê-lo ocupado durante um bom bocado.

Château de Savigny-les-Beaune, Rue Général Leclerc, 21420 Savigny-lès-Beaune, França; +33 3 80 21 55 03

Relacionados

Estilo de Vida

Mais Estilo de Vida

Na SELFIE

Patrocinados