Centenas de pessoas despedem-se em Roma do presidente do Parlamento Europeu, recordando-o como um "homem bom"

Agência Lusa , BCE
13 jan, 20:41
Despedida de David Sassoli, em Roma (AP Photo/Alessandra Tarantino)
Despedida de David Sassoli, em Roma (AP Photo/Alessandra Tarantino)

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vai representar o Governo português no funeral de David Sassoli, previsto para esta sexta-feira

PUB

Centenas de pessoas e os principais líderes políticos de Itália desfilaram esta quinta-feira em Roma na despedida ao presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, que morreu na passada terça-feira e foi recordado como um "homem bom".

PUB

O início do funeral com honras de Estado de Sassoli está previsto para as 12:00 locais de sexta-feira (11:00 hora de Lisboa) numa basílica na capital italiana, na presença da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, a par de diversos responsáveis políticos italianos e europeus, incluindo do Governo português.

Esta quinta-feira, pela câmara ardente instalada numa sala do Palácio del Campidoglio romano, em Roma, passaram centenas de pessoas e os principais líderes políticos italianos que quiseram prestar uma última homenagem a um político que consideravam “um homem bom” e um europeísta convicto. 

Na sala acumularam-se coroas de flores provenientes de numerosas instituições italianas e europeias, ao som da música sacra de Johann Sebastian Bach. 

O féretro foi recebido de manhã pela sua mulher, Alessandra Vittorini, e pelos seus filhos, Giulio e Livia, na presença do presidente da câmara municipal de Roma, Roberto Gualtieri.

O Presidente da República, Sergio Mattarella, compareceu na última saudação ao político e jornalista pouco após a abertura da câmara ardente, e durante o dia foi seguido por todos os líderes políticos italianos, incluindo o primeiro-ministro, Mario Draghi. 

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vai representar o Governo português no funeral de David Sassoli, indicou o próprio em declarações à Lusa na cidade francesa de Brest, onde participou numa reunião informal dos chefes de diplomacia dos 27 Estados-membros da União Europeia (UE).

O Governo espanhol confirmou ainda esta quinta-feira a presença do primeiro-ministro, Pedro Sánchez, no funeral de Estado de David Sassoli. 

Fontes do executivo espanhol confirmaram à agência noticiosa EFE a presença de Sánchez neste ato de despedida ao político italiano, que foi organizado pelo Governo de Itália após proposta do primeiro-ministro, Mario Draghi. 

Na próxima segunda-feira, na sessão evocativa que vai decorrer no Parlamento Europeu em Estrasburgo, o Governo português será representado pela secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias.

Sassoli morreu na terça-feira, aos 65 anos, em Aviano (Itália), onde se encontrava hospitalizado desde 26 de dezembro, sendo o primeiro presidente do Parlamento Europeu a morrer em exercício de funções nas quais estava prestes a ser substituído, no cumprimento de um acordo de partilha do mandato de cinco anos.

David Sassoli contraiu uma pneumonia em setembro de 2021, que o obrigou a receber tratamento hospitalar em Estrasburgo, França, e, embora tenha recebido alta hospitalar uma semana depois, prosseguiu a recuperação em Itália e esteve mais de dois meses ausente das sessões plenárias do parlamento, regressando no final do ano.

Na próxima semana, na primeira sessão plenária do ano, o Parlamento Europeu deverá eleger um novo presidente da assembleia, algo que já estava previsto a meio da atual legislatura, e não relacionado com o estado de saúde de Sassoli.

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu, é a favorita para suceder ao dirigente socialista italiano, que assumiu o cargo no verão de 2019.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados