"Um grande europeu": as reações à morte do "querido amigo" David Sassoli

11 jan, 08:05

O presidente do Parlamento Europeu morreu esta terça-feira, aos 65 anos de idade, após mais de duas semanas num hospital em Itália. Nas redes sociais, já são várias as reações de figuras europeias, que lamentam a morte de Sassoli

PUB

A presidente da Comissão Europeia lamentou a morte do líder do Parlamento Europeu, David Sassoli, considerando-o um "querido amigo".

"Entristece-me profundamente a morte de um grande europeu e italiano", escreveu Ursula von der Leyen na sua conta na rede social Twitter.

PUB

"David Sassoli era um jornalista apaixonado, um extraordinário presidente do Parlamento Europeu e, sobretudo, um querido amigo. Os meus pensamentos estão com a sua família. Descansa em paz, caro David", acrescentou.

Também o vice-presidente da Comissão Europeia, Joseph Borrel, declarou que "a perda de David Sassoli é uma grande dor".

"Perdemos um político valioso, mas acima de tudo um amigo, um homem que dedicou a sua vida ao serviço dos outros, primeiro no jornalismo e depois nas instituições, como presidente do Parlamento Europeu. Descanse em paz, querido amigo", escreveu.

O presidente do Conselho Europeu expressou a sua tristeza e comoção após a morte de Sassoli: "Sinto-me triste e comovido após o anúncio da morte do presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli", escreveu Charles Michel.

PUB
PUB
PUB

"Sentimos a falta do seu calor humano, da sua generosidade, da sua simpatia e do seu sorriso. Sincero condolências à sua família e amigos", acrescentou.

"Sem palavras", o vice-Presidente Executivo para o Pacto Ecológico Europeu, Frans Timmermans, expressou as suas condolências à família e aos mais próximos do seu "caro amigo".

Marcelo "recorda já com saudade" David Sassoli

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou hoje "com profundo pesar" a morte do presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, que descreveu como "um grande europeísta", de "caráter humanista".

Através de uma nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa "lamenta, com profundo pesar, o falecimento prematuro do presidente do Parlamento Europeu David Sassoli, endereçando à família e ao Parlamento Europeu as sentidas condolências".

"David Sassoli era um grande europeísta e deu um importante contributo como presidente do Parlamento Europeu para a defesa dos valores da União Europeia, nomeadamente da democracia e da solidariedade, revelando sempre o seu caráter humanista ao longo do mandato que exerceu com elevação. Foi um jornalista de grande prestígio em Itália, reconhecido pela sua competência e afabilidade", lê-se na mesma nota.

PUB
PUB
PUB

O Presidente da República Portuguesa "recorda já com saudade os diversos encontros que tiveram, ainda recentemente em dezembro passado em Estrasburgo, as excelentes relações institucionais e o trato sempre afável de David Sassoli".

Também o primeiro-ministro português, António Costa, recebeu com “profunda tristeza” a notícia da morte do presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, “um amigo”, com quem trabalhou de perto nos últimos dois anos.

“É com profunda tristeza que lamento a morte de David Sassoli. Um amigo com quem tive o privilégio de trabalhar muito proximamente nos últimos dois anos”, escreveu António Costa na rede social Twitter.

A presidente da Eslováquia, Zuzana Čaputová, também deixou uma mensagem, enaltecendo o espírito de união do italiano.

Já o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, dá conta da "triste notícia" da morte do "amigo progressista, um grande defensor dos valores europeus, que nos últimos anos trabalhou firmemente por uma UE mais unida e social durante a pandemia".

PUB
PUB
PUB

No Twitter, a morte de David Sassoli também se lamenta em português, com o presidente do Volt Portugal, Tiago Matos Gomes, e o membro do Livre, Rui Tavares, a deixarem mensagens de condolências.

O presidente do Parlamento Europeu morreu esta terça-feira, aos 65 anos de idade, após mais de duas semanas num hospital em Itália, devido a uma disfunção do seu sistema imunitário.

Sassoli contraiu uma pneumonia em setembro de 2021, que o obrigou a receber tratamento hospitalar em Estrasburgo, França, e, embora tenha recebido alta hospitalar uma semana depois, prosseguiu a recuperação em Itália e esteve mais de dois meses ausente das sessões plenárias do Parlamento, regressando no final do ano.

Na próxima semana, na primeira sessão plenária do ano, o Parlamento Europeu deverá precisamente eleger um presidente da assembleia, algo que já estava previsto a meio da atual legislatura, e não relacionado com o estado de saúde de Sassoli.

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PEE), é a favorita para suceder ao dirigente socialista italiano, que assumiu o cargo no verão de 2019.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados