Presidente do Comité Olímpico Internacional falou com Peng Shuai em videochamada

21 nov, 16:59
Peng Shuai
Peng Shuai

Tenista chinesa falou cerca de 30 minutos com Thomas Back, a quem assegurou estar bem, em segurança e na sua casa em Pequim

PUB

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, falou neste domingo, por videochamada, com a tenista chinesa Peng Shuai, que deixou de ser vista, no início de novembro, depois de uma publicação nas redes sociais onde denunciou ter sido vítima de abusos sexuais por parte de um alto dirigente chinês.

A informação foi divulgada pelo próprio COI, em comunicado, bem como parte da conversa, que durou cerca de 30 minutos, ainda que não tenha sido partilhado qualquer vídeo da chamada.

PUB

Peng Shuai assegurou a Thomas Bach estar bem, em segurança e na sua casa em Pequim, tendo também pedido respeito e privacidade pelo momento que está a viver e que decorre da denúncia.

Ela explicou que está em segurança, que está bem e a viver na sua casa em Pequim, mas que gostaria que respeitassem a sua privacidade neste momento. É por isso que ela, neste momento, prefere estar com os amigos e a família. Em todo o caso, vai continuar envolvida no ténis, o desporto que ela tanto adora", explicou o COI.

PUB
PUB
PUB

Já esta manhã, a imprensa estatal chinesa divulgou dois novos vídeos de Peng Shuai, que regressou aos courts para participar na cerimónia de abertura de um torneio de juniores em Pequim.

No primeiro vídeo, vê-se a tenista de 35 anos a dar autógrafos a crianças.

 

No segundo, participa na cerimónia de abertura do torneio.

 

 

Também no sábado, a mesma imprensa divulgou dois vídeos de Peng Shuai num restaurante com o treinador e amigos.

O alegado desaparecimento de Feng Shuai tomou proporções tais que as próprias Nações Unidas pediram provas sobre as condições em que se encontrava a tenista de 35 anos.

"Seria importante ter provas do paradeiro e saber se ela está bem. Pedimos uma investigação transparente sobre as acusações de agressão sexual", disse, na sexta-feira, Liz Throssell, porta-voz do Alto Comissariado para os Direitos Humanos da ONU, numa conferência de imprensa em Genebra.

Peng Shuai acusou através das redes sociais o antigo vice-primeiro-ministro da República Popular da China, Zhang Gaoli, de a ter forçado a manter relações sexuais há três anos. 

PUB
PUB
PUB

Há vários dias, figuras destacadas do ténis a nível mundial começaram a expressar inquietação sobre as circunstâncias em que Peng Shuai desapareceu.

Recentemente foi criada a campanha #WhereIsPengShuai (Onde está Peng Shuai?) através do Twitter.

Os serviços de censura do regime de Pequim apagaram das redes sociais as acusações da tenista desaparecida.

A acusação tinha sido divulgada através do Weibo, rede social chinesa equivalente ao Twitter, e pouco depois da mensagem ter sido publicada a tenista desapareceu.

A WTA, organismo responsável pelo circuito internacional de ténis profissional feminino, também pediu "uma investigação completa, justa e transparente sobre as alegações de violência sexual".

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Mundo

Mais Mundo