Fruta exótica → cocaína: 'Xuxas', a história

28 jun, 21:07

É considerado o maior traficante português de sempre e o braço direito do ‘Escobar’ brasileiro. Acabou detido pela PJ antes de fugir do país

Aos 38 anos, Ruben Oliveira é já considerado o maior traficante português de sempre, contando com uma vasta rede de ligações aos grandes cartéis da Colômbia e sendo mesmo apontado como o braço direito do ‘Escobar brasileiro’, Sérgio Carvalho, um ex-oficial da Polícia Federal do Brasil que acabou detido na semana passada depois de uma megaoperação da Polícia Judiciária.

De acordo com a investigação da PJ, ao longo dos últimos anos Ruben Oliveira foi conquistando a confiança do antigo major da Polícia Federal brasileira, que em 2018 veio para Portugal para dar continuidade à operação de narcotráfico que tinha montada na Europa. Foi assim que Ruben Oliveira conquistou uma dimensão nunca antes vista em Portugal, gerindo importação, logística e distribuição de cocaína na Europa, sempre em articulação com Sérgio Carvalho.

O maior traficante português acabou por ser traído precisamente numa destas operações, depois de uma investigação da PJ que em fevereiro passado apreendeu 3,5 milhões de doses de cocaína provenientes da América Latina dissimuladas em caixas de fruta tropical. Nesta megaoperação, que acabou por ficar conhecida como “Exotic Fruit”, a PJ apreendeu ainda bens, dinheiro e documentos que foram essenciais para chegar a Sérgio Carvalho. Este foi o princípio do fim para “Xuxas”.

Ruben Oliveira estava em Portugal quando o ‘Escobar’ brasileiro foi detido na Hungria como resultado de uma investigação da PJ em articulação com as autoridades brasileiras. O traficante português, que fugiu do país depois da megaoperação “Exotic Fruit’, geria as operações à distância mas regressou na semana passada para visitar familiares. A PJ conseguiu localizá-lo e seguiu ao minuto as movimentações do narcotraficante, que ainda tentou ocultar a sua fortuna mas a vasta coleção de automóveis de luxo com que se deslocava - entre Porsche, Mercedes e BMW - acabou por denunciá-lo. 

O traficante acabou por ser detido no bairro dos Olivais, em Lisboa, onde terá levantado uma grande quantidade de dinheiro, facto que chamou a atenção das autoridades - que receavam que 'Xuxas' estaria a preparar-se para fugir para o Dubai através de Madrid. Entretanto, Ruben Oliveira foi presente a um juiz de instrução para um primeiro interrogatório judicial neste fim de semana, tendo sido decretada prisão preventiva. O traficante aguarda agora o desenrolar do processo na cadeia de alta segurança de Monsanto.

A investigação prossegue agora com particular atenção para o património milionário de Xuxas, que, tal como Sérgio Carvalho, também será dono de um império imobiliário na Grande Lisboa que servia como porta de entrada para o tráfico internacional e que estará em nome de testas de ferro, que a PJ acredita serem cúmplices no branqueamento de capitais e possivelmente até na atividade do tráfico internacional de cocaína.

As detenções do 'Escobar' brasileiro e de Xuxas são já consideradas um duro golpe no grande tráfico internacional de cocaína e podem mesmo ser o princípio do fim deste império do narcotráfico que operava na Europa.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados