Até 3 de janeiro está complicado marcar testes covid em Lisboa e no Porto (e há filas que ultrapassam o milhar para testes sem marcação)

27 dez 2021, 18:15
Testagem em Lisboa (Lusa/Miguel A. Lopes)
Testagem em Lisboa (Lusa/Miguel A. Lopes)

Noutras cidades, como Braga e Coimbra, por exemplo, ainda há vagas

PUB

Não há vagas para marcações de testes à covid-19 em Lisboa e no Porto até pelo menos 3 de janeiro na Unilabs e na Cruz Vermelha (na Germano Sousa não há marcações). Numa semana em que o fim dos encontros de Natal coincide com o arranque dos preparativos para a passagem de ano - sendo obrigatório teste negativo para acesso a restaurantes, casinos e festas - são muitas as filas geradas por quem tenta fazer um teste sem marcação, seja PCR ou rápido (TRAg), nomeadamente na capital, onde a CNN Portugal está a acompanhar a corrida aos testes.

Para melhor noção do que está a acontecer, às 15:15, por exemplo, no posto de testagem Germano Sousa em Telheiras a fila para os testes chegava já aos 1.400 inscritos. E estamos a falar de um posto que, nos últimos dias, não consegue encerrar à hora prevista (20:00), tendo já estendido o fecho até à meia-noite, hora do "limite de cansaço" dos profissionais de saúde que ali se encontram, como descreveu à CNN Portugal o patologista clínico e antigo bastonário da Ordem dos Médicos que dá nome aos seus laboratórios.

PUB
PUB
PUB
PUB

Neste grupo de laboratórios não há marcações, mas há "ordens" para atender o maior número possível de pessoas. "É meu dever ajudar até dar", sublinhou o médico. Em Lisboa e no Porto é possível ver estas longas filas por horas adentro, cenário que não se pode colocar em Viseu, exemplificou Germano Sousa, ou até Cascais, na AML.

Nos três dias que antecederam o Natal, os laboratórios Germano Sousa realizaram cerca de 10.000 testes PCR por dia e outros milhares - ligeiramente menos - de TRAg, testes rápidos de antigénio. 

"Só encerrámos no dia 25 e mesmo assim atendemos urgências", indicou o patologista, que prevê que estes números se mantenham até ao final do ano, sendo que as portas vão estar fechadas no dia 1 de janeiro, exceto uma vez mais para casos urgentes.

Germano Sousa garantiu ainda à CNN Portugal que não haverá problemas de stock nos seus laboratórios, uma vez que antecipou a situação atual de procura logo no início do mês. "Preveni-me. Tenho um acordo com laboratórios alemães há muito tempo e fiz logo a reserva", contou, assegurando um stock diário de cerca de 10.000 testes nos próximos tempos.

PUB
PUB
PUB

Mais de 200.000 testes profissionais para farmácias em armazém

Se já tentou marcar um teste noutro grande grupo de laboratórios como a Unilabs ou através da Cruz Vermelha, terá visto também que não há vagas até 3 de janeiro para Lisboa ou Porto. Mas ainda há vagas noutras cidades: Braga, por exemplo, tem muitas vagas para os dias 28, 29 e 30, tal como Coimbra, como foi possível constatar no site de marcações da CVP, tanto para PCR como TRAg.

A nível nacional, também a Unilabs tem realizado milhares de testes nos últimos dias, com uma média de 16.000 por dia (PCR e TRAg) desde o dia 22 de dezembro.

No entanto, no caso destes laboratórios há alguns espaços onde o atendimento é feito sem marcação, como os Walk Thru de Lisboa, que resultam de uma parceria com a Câmara Municipal. A CNN Portugal esteve num destes locais durante a tarde, nos Restauradores, onde testemunhou longas filas e uma espera de mais de duas horas. O atendimento é sempre feito por ordem de chegada.

Nas farmácias portuguesas, a capacidade de realizar testes também não se esgotou e, segundo os últimos dados obtidos pela Associação Nacional de Farmácias (ANF) na sexta-feira, há neste momento "mais de 200.000 testes profissionais nos armazéns". Nos dias 23 e 24 foram realizados a nível nacional "159.000 e 114.000 testes", respetivamente.

PUB
PUB
PUB

Relativamente a autotestes, são algumas as queixas que chegam à CNN Portugal sobre pessoas que não conseguem comprar autotestes nas farmácias, mas Ema Paulino, presidente da ANF, garantiu que não há falta de autotestes no país e que os casos relatados tratar-se-ão de situações pontuais. "Continuamos a ter autotestes e todos os dias estão a chegar às farmácias", indicou.

De acordo com o Governo é obrigatório um teste negativo à covid-19 para aceder a restaurantes, casinos e festas de fim de ano nos dias 30 e 31 de dezembro e 1 de janeiro. Estes testes só podem ser autotestes se forem supervisionados por um profissional de saúde.

Nas últimas 24 horas foram registados mais 6.334 casos de covid-19 em Portugal, numa altura em que o atendedor automático da Linha SNS24 já passa prescrições para testes PCR.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados